MENU

Drop Down MenusCSS Drop Down MenuPure CSS Dropdown Menu

Bruno Fernandes vence em Spa Francorchamps.



A GT4 Series da VORC retornou para a sua quarta etapa, desta vez no lendário traçado belga de Spa Francorchamps, ao todo 14 carros largaram para a etapa, que viu a estréia de Bruno Fernandes no número #54 da Fitmess Snow Schatten no lugar de Arthur Targa.

QUALIFICAÇÃO:
Thiago Procopio foi o pole position, o piloto da Fitness Snow Schatten fez o tempo de 2:30,676, seguido de seu companheiro Bruno Fernandes que fez 2:31,458.
Ricardo Prediger (Team Schnell) e Rodrigo Vicente que substituía Cadu Maciel na BSP Racing.
Ainda completaram o TOP10, Alexandre Oliveira, Ernesto Brock, Paulo Rodrigues, Anderson Medeiros, Emerson Czerkawsky e Marco de Andrade.


CORRIDA:
No inicio da prova Thiago Procopio dava cara que lideraria toda a prova, mas teve a ponta tomada por Bruno Fernandes na volta 7, e assim se seguiu até a volta 11 quando Procópio abandonou a prova, durante a amarela causada por Marco de Andrade (MTech Sports)
Ricardo Prediger se colocou na segunda posição na corrida.
Ao final de 23 voltas Bruno Fernandes venceu a prova, com o tempo de 1:02:43,521, com Ricardo Prediger cruzando em segundo, mas acabou desclassificado ao final da etapa por não envio de LOG, com isso Alexandre Oliveira (HVM Racing Team) passou em segundo com seu companheiro de equipe Ernesto Brock sendo o terceiro colocado na prova, dentro os 9 carros que chegaram ao final da corrida.


PROTESTOS E PUNIÇÕES:
Direção > T.Procópio - N1, +10s, Largada fora do padrão fila indiana.
Direção > R.Prediger - N1, +10s, Largada fora do padrão fila indiana.
Direção > A.Medeiros - N1, +10s, Largada fora do padrão fila indiana.
Direção > R.Vicente – N3, +30s, Atitude anti-desportiva pós corrida.
* O piloto R.Vicente era substituto de C.Maciel na etapa, com isso o piloto adquire os pontos feito pelo seu substituto, assim como R.Vicente fica impedido de fazer nova substituição na categoria após o ato.


PONTUAÇÃO PILOTOS:


PONTUAÇÃO EQUIPES:


PRÓXIMA ETAPA:
O Circuito húngaro receberá a próxima etapa, o circuito de dificil ultrapassagem e travado, será palco de semi final do campeonato.



VT DA ETAPA


Leia Mais... ►

Cadu Maciel sobrevive a Indy 500 acidentada e conquista vitória.



A Indy 500 na VORC Series é uma certeza que acontece a todo ano, mas a segunda corrida do evento especial teve uma corrida pra lá de atípica e mesmo com 3 carros nas ultimas 64 voltas o final foi digno de Indianapolis e suas surpresas.

GRID DE LARGADA:
O Grid de largada contava com Larcio Medina (Pro Drivers) na pole position, com Regis Brites largando em segundo com sua Black Wings, ainda completaram o TOP 10: Guido Seelig, Felipe Muniz, Fabio Marques, Paulo Tchachalowski, Diego Said, Luciano Rocha, Ronaldo Silva e Paulo Rodrigues.


CORRIDA:
A etapa começou com bons pegas e até que uma largada que aparentava que ia ser tudo tranquilo, mas na volta 4 a primeira bandeira amarela foi agitada com o acidente de Jesus Neto (BSP Racing).
A partir dai a corrida começou a ganhar novos ares, onde os carros acabaram começando andar em pack Racing, e se é sabido que ao andar assim, a tendência de acidentes vai ficando cada vez maior, e nisso começou a carnificina, onde acidentes e alguns pilotos com problemas foram dando adeus a prova. Quando a corrida chegou na volta 70, haviam apenas onze carros na pista.
Com a corrida chegando a 100 voltas, apenas quatro pilotos seguiam vivos na briga pela vitória, Guideo Seelig (Black Wings), Cadu Maciel (BSP Racing), Paulo Maeda (Black Wings) e Marco de Andrade (M Tech Sports) eram os sobreviventes da prova.
Na volta 136 nova amarela, desta vez Paulo Maeda estoura seu motor e com isso dá adeus a prova.
Os três guerreiros que sobraram para o final da prova, deram a nova verde, e a corrida foi seguindo, com Guido Seelig liderando a prova, seguido de Cadu Maciel, com o tempo a situação se inverteu onde Guido não passava por Cadu, para assim economizar mais combustível.
A volta 170 foi crucial para a corrida, pois Cadu Maciel foi aos pits, perdendo assim a liderança para Guido Seelig, que pararia na 173, porém no momento da entrada, Guido Seelig acaba rodando, e perdendo um tempo precioso e retorna em torno de 10 segundo atrás de Cadu Maciel. A partir dai, Guido começa a impor um ritmo forte, ainda mais tendo Cadu Maciel o carro com pequenas avarias, perdia tempo com relação a Guido, até que quando a diferença chegou a casa de 3.5s na volta 186, Guido Seelig começou a soltar fumaça de seus carros e a perder muito rendimento, tendo piloto da Black Wings que começar a levantar o pé para tentar levar o carro até o final.
Ao final das 200 voltas e 2 horas 54 minutos, 23 segundo e 756 centésimos, Cadu Maciel leva a sua BSP Racing a vencer a sua primeira Indy 500, Guido Seelig levando o carro heroicamente a cruzar a linha de chegada em segundo, Marco de Andrade não menos heroico, levou o seu carro ao final e fechou a etapa na terceira posição.


PROTESTOS E PUNIÇÕES:
P.Rodrigues > A.Borges - Indeferido, protesto fora de padrão.
J.Hebert > P.Tchachalowski - 
 Indeferido, protesto fora de padrão.

VT DA ETAPA:



Leia Mais... ►

Yahuacocha não força a “Ibarra” e trás corrida com 3 vencedores diferentes.



Depois de um pequeno hiato na temporada, a TCR Sulamericana retornou e com grande estilo, o palco foi o traçado equatoriano de Yahuacocha, com seu traçado veloz, e com trechos de miolo lentos e complicados, os 27 pilotos que foram para a etapa, tiveram um dos melhores traçados para disputa e assim foi em cada uma das três baterias.

QUALIFICAÇÃO:
No qualy, Ernesto Brock (HVM Racing) surpreendeu e cravou a melhor volta, nem mesmo o piloto acreditou quando viu o melhor tempos, feito em 1:25,184, seguido de Givaldo Spindola da Black Wings, que ficou sem segundo, Cadu Maciel (BSP Racing) e Leonardo Lopes companheiro e filho de Givaldo foi o quarto colocado no grid. Ainda completaram o TOP 10: Alexandre Oliveira, Jesus Neto, Felipe Granado, Gilson Rodrigues, Cesar Bergesch e Emerson Czerkawsky.


BATERIA 1:
A Bateria 1 foi vencida por Cadu Maciel, que aproveitou da boa largada e abriu vantagem sobre Ernesto Brock, que teve de brigar pelo segundo lugar o tempo todo, Emerson Czerkawsky da HVM Racing, fazendo bela corrida fazendo um bom embate com Leonardo Lopes pelo pódio e no final conquistando o terceiro lugar, destaque também, para Marcelo Vieira (Parma Motorsports) que ganhou 9 posições na corrida.


BATERIA 2:
Luciano Rocha (#268 Racing) foi quem saiu da Pole, com o argentino Fernando Esquitino (Branca Sport Team) formando a segunda fila.
Felipe Granado (Herdez Competition) mais uma vez vence uma segunda bateria no campeonato e vem totalizando três vitórias no campeonato, Cadu Maciel foi o segundo colocado e Luciano Rocha viria a ser o terceiro, mas um não envio de LOG acabou gerando a desclassificação do piloto, com isso Leonardo Lopes foi o terceiro ao final de 13 voltas.


BATERIA 3:
A terceira bateria viria a começar com Fernando Esquitino na pole, e Jesus Neto (BSP Racing) saindo do segundo lugar.
Emerson Czerkawsky fez um grande embate contra John Martins (CTE Racing HVM), ambos duelaram em dois momentos pela vitória, mas Emerson Czerkawsky acabou levando a melhor, com John Martins em segundo e Leonardo Lopes cruzando a linha de chegada na terceira posição.
Outros bons destaques da etapa foi mais uma vez Marcelo Vieira andando entre os TOP 10, e Cesar Bergesch (CBR Team) que andou as três baterias sempre entre os 10 melhores.


PROTESTOS E PUNIÇÕES:
Bateria 2:
T.Tomey > T.Marques = +20s, N2 carteira, Toque ao perder o carro, porém causando danos a corrida do numero #34

Bateria 3:
J.Brochier > G.Rodrigues = +30s, N3 Carteira, o piloto sai do traçado e ao retornar acabar causando colisão com o numero #44, e posterior gerando mais acidentes, como o piloto abandonou a prova, a punição seria de 15 posições no grid próximo, mas com os estouro de 6 pontos na carteira o piloto já ficará sem quali na próxima etapa.

CARTEIRA DE PONTOS:


PONTUAÇÃO PILOTOS:


PONTUAÇÃO EQUIPES:


PONTUAÇÃO PAÍSES:


PONTUAÇÃO MARCAS:


PRÓXIMA ETAPA:
A próxima etapa do campeonato será no veloz circuito de Rafaela, onde o circuito é praticamente um oval com chicanes, a tendencia é de uma corrida com muitas ultrapassagens e bons pegas, na grande semi-final do campeonato.



VT DA ETAPA:


Leia Mais... ►