MENU

Drop Down MenusCSS Drop Down MenuPure CSS Dropdown Menu

Bruxas de Thruxton a solta!!!


Em mais uma noite de sexta-feira, realizou-se a 3ª etapa da VORC SERIES OLD BTCC, no circuito inglês extremamente técnico de Thruxton. A pista, com seus 3.791km e suas curvas de alta velocidade intercaladas com suas chicanes, proporcionou duas agitadas baterias para os 23 carros que largaram - o maior grid da categoria até o momento.

Bem como em Brands Hatch, a etapa contou com alguns novos pilotos, outros substitutos e alguns retornos ausentes na etapa anterior, além de, novamente dois vencedores diferentes conquistando o topo da lista.

No campo das estreias, a menção fica por conta da Factory Assault, promovendo os pilotos Leandro Werle – que correu pela BSP na etapa anterior – e o líder do campeonato Gustavo Frigotto, oriundo da HVM Racing.

Também marcaram estreia na etapa Beto Feler e Alisson Zanoni pela Benkler RT, além de Carlos Reina pela Branca Sports Team

- QUALIFYING:

Talvez a característica mais marcante desta etapa, tenha sido a alta sensibilidade dos “cut tracks”, o que de certa forma mudou em partes o resultado do ‘Qualy’, com alguns pilotos mais rápidos largando no pelotão intermediário.

Na primeira fila, a novidade ficou por conta de Thiago Procópio, que conquistou sua primeira pole position na categoria, quebrando a hegemonia de Gustavo Frigotto, que vinha de duas em sequencia. Procópio, aliás, substitui Enzo Sofiato na Benkler RT para todo restante da temporada.

Frigotto, que vinha em volta rápida na sua segunda e última tentativa, acabou traído pelo ‘cut track’ da última curva, mas ainda assim, conseguiu fechar a primeira fila com uma pequena diferença para Procópio. Um pouco mais distante do pole e completando a segunda fila, vieram o surpreendente Beto Feler e Samuel Pontes da BSP 2. Fechando os 6 primeiros, a terceira fila foi preenchida pela BSP, com Jesus Neto e Anderson Medeiros.


- BATERIA 1:

 Já na largada – parafraseando o narrador da noite, Rodrigo Vicente – o ‘sururu’ se formou e 7 carros foram envolvidos, alijando da disputa Gilson Rodrigues da BSP por quebra de suspensão. Os demais envolvidos, Marco Parma, Marco de Andrade, Tarso Marques, Sílvio Cividini, Emerson Barina e Ernesto Brock, retornaram a pista sem maiores danos.

Ainda no primeiro giro, o lance mais polêmico da noite: Gustavo Frigotto, que havia pulado na frente pós largada, acabou escapando na curva Church, o que proporcionou a aproximação veloz de Procópio. Ambos ficaram lado a lado para freada da última chicane, mas um pequeno toque porta com porta entre ambos desequilibrou o piloto da Factory Assault, levando a pior e indo parar na barreira de pneus.

Após este incidente, não faltou ação na etapa, com Frigotto escalando o pelotão rapidamente, as atenções foram voltadas a ele e seu companheiro de equipe Leandro Werle, e já na volta 5, ambos superavam a dupla Daniel Gomes e Tarso Marques da Chrome Racing, além de Glauber Belo pela 11º e 12º posição respectivamente.

No giro 7 da prova, um acidente na curva 1 envolveu o piloto Marco de Andrade da M-Tech, que capotou seu Audi A4 e foi atingido por Emerson Barina.

Outra briga que monopolizou as atenção da transmissão fora pela 13º colocação, que envolvia nada menos do que 6 carros dividindo curvas e disputando porta com porta cada metro de pista. Daniel Gomes, Tarso Marques, Alisson Zanoni, Glauber Belo, Marcelo Vieira e Ernesto Brock deram show de ultrapassagens e trocas de ‘X’ entre eles. Glauber da Thunder Racing acabou levando a pior da volta 11, e após um toque com Tarso, cortou a chicane e foi punido com passagem pelo box.

Na volta 12, outra briga boa era de Alexandre Oliveira, Tonga Guardia e um pouco mais atrás, Cadu Maciel, pela 5ª colocação. Porém, num azar tremendo, o popular ‘Zé da Meia’ teve uma quebra de motor devido a uma falha de equipamento na troca de marchas.

Parte final, a corrida era dominada pelas equipes Benkler e BSP, que monopolizavam as primeiras posições com Procópio, Pontes, Feler. Medeiros e Neto acabaram escapando da pista e perdendo suas posições no pelotão da frente. Jesus Neto, ainda tomara um drive trough na última volta por excesso de cortes.

E assim terminou, com Procópio e Pontes separados por pouco mais de meio segundo, seguidos de Beto Feler que completou o pódio. Tonga Guardia e Cadu Maciel contaram com os problemas da frente e fecharam o TOP 5. Frigotto e Werle, depois de uma corrida escalando pelotão, finalizaram muito bem em 6º e 7º. Anderson Medeiros da BSP, Carlos Reina da Branca Sports Team e Emerson Czerkawsky da HVM, fecharam o TOP 10.


- BATERIA 2:

Com a inversão de grid dos 10 primeiros colocados, ‘Czerka’ largou na pole com Carlos Reina em segundo. Mas ambos não conseguiram sustentar suas posições, cedendo espaço para Medeiros, Frigotto e Werle, que pularam para frente ainda no primeiro giro.

Com uma largada bem mais tranquila, o primeiro incidente registrado foi o de Jesus Neto, que recebeu um toque fogo amigo de Samuel Pontes, e acabou dando uma rodada de 360°.

Jesus, por sinal, acabou escapando novamente na volta seguinte, e desta vez levou a pior, sendo atingido por Marco Parma, da Parma Motorsports.

Na volta 5, Marco de Andrade estava rápido nas capotagens, e desta vez conseguiu completar mais de 6 giros no ar. Felizmente no AV, o retorno é possível, e os danos ficaram apenas na carroceria de seu Audi A4.

Sexta volta, Emerson Czerkawsky que vinha se mantendo muito bem no TOP 5, acabou sendo – assim como Jesus Neto – mais uma vítima da curva Goodwood, e perdeu sua posição para Samuel Pontes, Carlos Reina, Cadu Maciel e Ernesto Brock. Este último, que vinha em bom ritmo após uma primeira bateria de muitos contratempos.

Metade da prova se passava e os lideres eram cada vez mais líderes. Frigotto e Werle abriam 7 segundos para Thiago Procópio, que a esta altura já era 3º colocado, com Anderson Medeiros em 4º.

Procópio acabou sendo punido com passagem pelo box na volta seguinte devido a excesso de cortes.

Enquanto isso, no pelotão intermediário, as brigas continuavam quentes. Beto Feler não conseguiu subir as posições pós largada, ficando preso numa briga com Tarso Marques, Sílvio Cividini e Marcelo Vieira pela 10ª posição.

Glauber Belo e Daniel Gomes se estranharam no primeiro setor após abertura da volta 9, e o piloto da Thunder acabou levando a pior e batendo de frente na proteção, danificando bastante seu carro.

Volta 10, Anderson Medeiros que vinha em uma sólida 3ª posição, foi mais um a conhecer as trapaças da pista inglesa e recebeu seu ‘drive trough’ por corte. Junto dele, Carlos Reina e Emerson Czerka também receberam seus presentes de grego.

Neste momento, Samuel Pontes vinha para seu segundo pódio na noite, sendo o único a levar dois canecos para casa.


No final, Gustavo Frigotto e Leandro Werle coroaram dobradinha da Factory Assault com uma boa vantagem de 6 segundos para Pontes. Cadu Maciel, numa corrida tranquila fechou em 4º, com Beto Feler, que conseguiu se recuperar e subir de posições no final, completando TOP 5.

Brock, Medeiros, Gilson Rodrigues – que largou nas últimas posições – e a dupla da Branca Sports Team, Tonga Guardia e Carlos Reina fecharam o TOP 10.


- CAMPEONATO DE PILOTOS:
Gustavo Frigotto segue liderando o campeonato depois de vencer 4 das 6 baterias, e vem com 47 pontos de vantagem encima de Leandro Werle com duas baterias a menos, enquanto o argentino Tonga Guardia em terceiro.


- CAMPEONATO DE EQUIPES:
Já no de equipes a surpresa vem sendo a BSP Racing 2 que vai liderando o campeonato encima da BenKleR Racers em uma diferença de 7 pontos, já a HVM Racing Team aparece na terceira colocação.


- PRÓXIMA ETAPA
A próxima etapa da temporada será em Oulton Park, em um circuito DE 4.333 km bastante rápido, porém com bastante variedade de altura e bumps, tente a ser uma corrida bastante técnica onde os pilotos que não se cuidarem podem ter problemas com cortes.

- VT DA ETAPA



Texto by Cadu Maciel