MENU

Drop Down MenusCSS Drop Down MenuPure CSS Dropdown Menu

Nos apertos das ruas de Long Beach, pilotos dão show de pericia!!!



Passadas duas das mais atraentes etapas do campeonato, a IMSA retornou a VORC SERIES com seu evento mais curto nas ruas de Long Beach, para que os pilotos partissem para 1 hora de corrida no apertado – mas rápido – traçado litorâneo.

O sucesso da categoria foi comprovado com a entrada de mais pilotos, mas também marcou a saída de outros. Entre os nomes novos, destaca-se o de Leandro Werle, que entrou no lugar de Sidney Santos na equipe Benkler RT. Também retornaram nesta etapa Vinicius Loyola da Evolution Racing, que competiu na etapa de Daytona, e Anderson Medeiros pela equipe BSP.

O circuito, em sua versão 2007 possui 3.15 km, com a famosa “curva do golfinho”, trecho mais sinuoso do traçado, além do famoso hairpin da curva zero.

- QUALIFYING:

Cat. GTE = Após Bregonci da Benkler RT em Daytona e Ricardo Prediger da Team Schnell em Sebring, desta vez a honra do topo da planilha de classificação ficou para a Ferrari 488 da Benkler conduzida por Thiago Procópio. Mas o vencedor de Daytona não conseguiu foi tão soberano e viu Bruno Fernandes da M-Tech e seus companheiros de equipe João Bregonci e Rodrigo Kbessa em um intervalo de 0,268 segundos. Ricardo Prediger fechou o TOP5 com seu Ford GT.

Cat. DP = Depois de perder a vitória de Sebring por infringir os limites de pista, Eduardo Melo mostrou que estava com ‘sangue nos olhos’ e confirmou o favoritismo. Mas engana-se quem acha que o piloto da Paraguay Racing AV foi soberano na classificação. Seu coirmão da HVM Racing Cadu Maciel, conseguiu acertar a segunda tentativa e, se colocou ao lado de Melo por míseros 0,091 segundos fechando a primeira fila.

Atrás deles, e confirmando a ótima fase nos carros protótipos, veio Daniel Gomes da Chrome em terceiro e Vinicius Loyola num bom quarto posto. Quem fechou o TOP5 foi Rodrigo Rocha da Black Wings RT.



- CORRIDA:

 Alguns pilotos tiveram problemas na virada da sessão, e acabaram largando dos boxes, dentre eles, Tarso Marques da Chrome e Jesus Neto da BSP. Ambos tiveram grande dificuldade para escalar o pelotão numa corrida de recuperação.

Largada autorizada, Melo manteve a ponta com Cadu em segundo e Loyola, que ganhou a posição de Daniel Gomes, em terceiro. Mais atrás, na GTE, Procópio mantinha a ponta, inclusive ultrapassando alguns carros da classe DP, com Bruno Fernandes mantendo o segundo lugar.

Na abertura da volta 2, Ricardo Prediger perdeu o ponto de frenagem da curva 1 e encontrou a barreira de pneus com seu Ford GT. Mesmo perdendo algumas posições, o piloto da Team Schnell conseguiu retornar para prova. Mais à frente, pela classe DP, Vinicius Loyola foi otimista na tentativa de ultrapassar Cadu Maciel ao final da reta oposta, passando reto e sendo mais um a encontrar-se com a barreira de pneus.

Neste momento da corrida, apenas três voltas haviam sido completadas, e o destaque ficava por conta do líder do campeonato Bruno Miranda, da BMRS, que já ocupava a 3ª colocação, num ritmo extraordinário. Após ter errado no inicio de sua classificação, Miranda acabou abortado a segunda tentativa e largou na última posição da classe DP.

No fechamento da quarta volta, mais um incidente, agora envolvendo carros de classes diferentes. Jesus Neto, que vinha tentando escalar o pelotão, acabou se desentendendo com o carro o Ford GT da M-Tech pilotado por Achylles Junior, e levou a pior, tendo que manobrar para retornar a corrida.

Realmente não era o dia da equipe BSP. Mais a frente, Anderson Medeiros era outro que se chocava contra os pneus da curva 1. Porém, o numeral 93 acabou abandonando a prova logo no início.

Dez minutos de corrida se passavam, e a primeira bandeira amarela foi acionada. João Hebert da equipe Sim Force Racing, rodou e bateu no final da reta oposta. Como o piloto não conseguiu remover seu Corvette da pista, o carro de segurança teve de ser chamado.

Neste momento a corrida estava mais tranquila do que imaginado. Haviam pilotos da GTE misturados com os da classe DP. Eduardo Melo se mantinha líder com uma boa vantagem, mas perdeu tudo para Cadu Maciel. Daniel Gomes aparecia em terceiro com Rodrigo Rocha em quarto. Cristiano Gomes, da Calango, e Emerson Czerkawsky da HVM figuravam em 5º e 6º, respectivamente.

Na GTE, Thiago Procópio também perdera toda vantagem que tinha para o segundo colocando, que neste momento era João Bregonci. Bruno Fernandes fechava o TOP 3, com Rodrigo Kbessa em 4º. Os carros da Schnell completavam os seis primeiros, com Werner Marote e Prediger.

Ainda na bandeira amarela, dois pilotos da classe GTE deram adeus à disputa. Marco de Andrade da M-Tech e o líder da prova, e também do campeonato, Thiago Procópio, não tiveram sorte com suas conexões e caíram do servidor.

Relargada com 40 minutos faltantes, Melo manteve a ponta, mas desta vez Cadu Maciel conseguiu se manter próximo do líder. O piloto da HVM vinha em uma estratégia de pneus diferente do líder, com compostos mais duros tentando o ‘pulo do gato’ no fim da corrida.

Na sequencia, ao final da reta oposta, novo problema com Jesus Neto da BSP. O numeral 18 perdeu o controle do carro na aceleração. Mais atrás, no mesmo ponto Emerson Czerkawsky mergulhou para ultrapassar o carro da GTE de Werner e um choque entre ambos deixou o piloto da Schnell preso na barreira de pneus. Werner ainda conseguiu retornar para o box com pneu furado.

Metade da corrida completada, na classe DP, Eduardo Melo da Paraguay, se mantinha na ponta desde o inicio, mostrando ótimo ritmo. Maciel e Daniel Gomes ainda mantinham o TOP 3. Rodrigo Rocha que era o 4º até o momento, errou no miolo do circuito e perdeu a posição para Bruno Miranda, com Cristiano Gomes em 6º.

Na GTE, João Bregonci era o líder após queda de Procópio, e tentava com todas as forças abrir vantagem para Bruno Fernandes. Rodrigo Kbessa seguia firme da terceira colocação. Fechando os seis primeiros da categoria, Leandro Werle da Benkler – que largou de último – Ricardo Prediger da Schnell e Alisson Zanoni da Benkler.

Se o carro da Paraguay na classe DP seguia soberano na prova, o mesmo não podia ser dito dos carros GTE da equipe. Alexandre Oliveira era o 8º na categoria e Ernesto Brock vinha em 9º até se envolver em um acidente com Cadu Maciel, típico de corrida multi classe em pista de rua. Ambos tiveram um contato ‘porta com porta’, e o carro da HVM acabou levando a pior, perdendo algum tempo no retorno para pista.

20 minutos faltantes, a prova fluía bem, com 22 carros ainda em pista, as posições no topo seguiam inalteradas. Melo já abria mais de dez segundos de vantagem na frente. Daniel Gomes e Bruno Miranda disputavam ferrenhamente a P2. O pega entre ambos durou mais de 3 voltas, até que Miranda conseguiu concretizar a ultrapassagem na reta principal. Na GTE as brigas já eram mais espaçadas, e Bregonci se mantinha firme na ponta, com Fernandes em segundo.

Aos dez minutos para o fim, novas ações ocorreram. Na classe GTE, Alisson Borges da RW rodou na curva ao final da reta oposta e, na tentativa de voltar rapidamente pra pista, acabou se complicando e ficou preso na mureta. Cadu Maciel e Alexandre Oliveira quase bateram no Porsche 911 que alí estava. Outro incidente ocorria mais a frente. Bruno Miranda que vinha tentando tirar a diferença para o líder, se complicou na tentativa de aplicar volta sobre Brock, e rodou, novamente cedendo a 2ª colocação para Dani Gomes.

Final de corrida, quando tudo parecia resolvido, muita coisa aconteceu. Primeiro foi Jesus Neto, que rodava mais uma vez na freada para o hairpin, mas sem danos, o piloto da BSP retornava na 15ª colocação geral da prova. Lá na frente, Dani Gomes já com dificuldade de pneus acabou errando e devolvendo a 2ª colocação para Bruno Miranda. Vinicuis Loyola, Gilberto Rincha e Tarso Marques também vinham com dificuldades para manter seus DP´s na pista, proporcionando algumas pequenas rodadas sem danos.

Com o erro de Dani Gomes, quem se aproximou bastante na briga pelo último lugar no pódio, foi Cadu Maciel. A HVM #24 vinha com pneus mais inteiros devido à escolha do composto mais duros, e a diferença para Gomes foi caindo a cada parcial.

Foi essa disputa que chamou todas as atenções neste finalzinho de corrida. Dani Gomes tentava a todo custo abrir vantagem para Cadu, mas nada estava definido. Ambos encontravam retardatários em todos os pontos da pista, e uma ultrapassagem ficava cada vez mais difícil. Mas na penúltima volta, os dois pilotos encontraram pela frente Tarso Marques e o líder da GTE, João Bregonci. No final da reta oposta, Tarso não teve espaço para abrir a passagem, e acabou tocando o carro de Bregonci, felizmente sem maiores danos ao Porsche da Benkler.

Eduardo Melo, com 13 segundos de vantagem para Miranda abria a última volta, mas a atenção era total na disputa pela 3ª colocação. Na reta oposta, quase ao final da volta, Daniel Gomes entrou na reta e tomou a linha de dentro para defesa. Cadu só teve a opção da linha de fora, e numa linda manobra, conseguiu retardar a freada e conquistar a posição.

E assim a corrida teve seu resultado final: na classe GTE, João Bregonci conquistou o topo do pódio,

 com Bruno Fernandes da M-Tech em segundo e Rodrigo Kbessa fechando o TOP3. Ricardo Prediger da Schnell terminou em uma boa quarta colocação. Na sequencia e fechando os seis primeiros apareceram Leandro Werle – estreante da noite pela Benkler – e Alexandre Oliveira da Paraguay.
Bruno Fernandes acabou punido ao final da etapa com 10 segundos acrescido ao tempo final de prova e com isso perdeu o segundo lugar para Rodrigo Kbessa

 Na DP, Eduardo Melo da Paraguay conseguiu algo raro em corridas de endurance, vencer de ponta a ponta. Melo só não conseguiu ser perfeito, pois o segundo lugar Bruno Miranda, conseguiu a melhor volta da corrida. Cadu Maciel fechou o TOP3. Daniel Gomes da Chrome, Cristiano Gomes da Calango e Rodrigo Rocha da Black Wing fecharam os 6 primeiros.

Ao final da prova, Bruno Miranda acabou perdendo o segundo lugar ao receber 15 segundos de punição por corte da linha da curva 1. caindo para a terceira posição.



- PUNIÇÕES
SAIDA DE BOX
Allison Borges - Volta 5 - 10 segundos +2 pts na carteira (o piloto que abandona a prova e não cumpre a punição fica sem qualy na próxima etapa
Alisson Borges - volta 12 - 10 segundos +2 pts na carteira (o piloto que abandona a prova e não cumpre a punição fica sem qualy na próxima etapa)

INVASÃO ÁREA DELIMITADA DE BOX
E.Czerkawsky - 1x - 5 segundos
A.Oliveira - 2x - 10 segundos
B.Fernandes - 2x - 10 segundos
V.Loyola - 11x - 55 segundos
A.Junior - 1x - 5 segundos (o piloto que abandona a prova e não cumpre a punição fica sem qualy na próxima etapa)
D.Gomes - 3x - 15 segundos
B.Miranda - 3x - 15 segundos
G.Rincha - 1x - 5 segundos
J.Martins - 1x - 5 segundos

- PONTUAÇÃO PILOTOS
DP - Bruno Miranda segue lider, seguido de Dani Gomes que é o novo vice lider do campeonato, agora Eduardo Melo saltando bem no campeonato e agora é o terceiro colocado no campeonato



GTLM - João Bregonci é o novo lider após a vitória em Long Beach, Thiago Procopio cai para  a vice liderança, enquanto Rodrigo Kbessa é o novo terceiro colocado no campeonato.



- PONTUAÇÃO EQUIPES
DP - A BMRS Motorsports segue lider, com 5 pontos de vantagem sobre a HVM Racing Team, e 12 encima da Chrome Racing



GTLM - A BenKleR TR Assume a ponta com seu Porsche 991 RSR enquanto a equipe 2 da BenKleR vem em segundo lugar com 1 ponto a menos, a Team Schnell surpreende voltando a andar bem em campeonatos de sua origem se segurando na terceira colocação do campeonato.



- PRÓXIMA ETAPA
O circuito americano de Watkins Glen receberá a quarta etapa da temporada, conhecido por ser um decaptador de cabeças na antiguidade.
É um traçado muito veloz, tendo algumas curvas com inclinação, além de uma chicane para quebrar a velocidade da curva Outer Loop uma das mais sensasionais do autodromo americano.



- VT DA ETAPA