MENU

Drop Down MenusCSS Drop Down MenuPure CSS Dropdown Menu

Resurgimento em Portugal!!!



Em etapa no circuito de Vasco Sameiro, Emerson Czerkawsky se aproveita de um ótimo rendimento no circuito e faz corridas impressionantes, vence e sobe no campeonato. John Martins vence primeira bateria e embola briga pelo título.

Qualifiyng
John Martins (CTE Racing HVM) foi o mais rápido com 1:20,933, enquanto Cadu Maciel (Scuderia TechForce) fez 1:20,974, Ernesto Brock (CTE Racing HVM) fechou a segunda fila com 1:21,219 e Emerson Czerkawsky (HVM Racing Team) fez 1:21,320.


 Bateria 1
Logo na curva 1, já um enrosco envolvendo vários pilotos, após um enrosco entre Emerson Czerkaws, Ernesto Brock e Cadu Maciel, acabou sobrando para outros pilotos por causa da pista fechada, pior para o peruano Tito Tomey (Mobo Owl Racing) que teve seu motor estourado.
Na volta seguinte foi a vez de Paulo Rodrigues (Time XtraBe) ficar no muro da curva 1.
Brock vinha em briga ferrenha contra Edgar Horst Jr (M Tech Sports) que era substituto de Marco de Andrade e sendo seguido por Emerson Czerkawsky.
Restando 12 minutos, Emerson Czerkawsky começa a partir para cima de Ernesto Brock, em busco do terceiro lugar.
Brock acaba errando na curva 1, e com Isso perde a posição para Czerkawsky e Anderson Medeiros (BSP Racing 2)
Restando 4 minutos, Czerkawsky consegue a ultrapassagem sobre Horst Jr, Brock e Alexandre Oliveira (Herdez Competition) chegaram na briga também.
John já havia aberto 14 segundos de vantagem e vinha apenas controlando a situação até o final, finalizando sua segundo vitória na temporada, Emerson Czerkawsky fechou em segundo e Edgar Horst Jr conseguindo se segurar dos ataques de Brock e conquistando o terceiro lugar.
Brock acabou perdendo o quarto lugar para Alexandre Oliveira e Cadu Maciel que conquistou o quinto juntamente com ele. Cadu ainda passaria Alexandre fechando na quarta posição.


Bateria 2
Com um carro a mais, a chegada de Cesar Bergesch (CBR Team) a bateria começou com Werner Marote (Team Schnell) com Dani Gomes (Chrome) em segundo, Macelo Vieira (Parma Motorsports) e João Hebert Santos (M Tech Sports) saindo de quarto lugar.
Na largada, Werner conseguiu se segurar na frente, Hebert tentando ir para cima de Dani Gomes, e geral passando ilesa a curva um, em uma largada muito melhor que a da bateria anterior.


João Hebert Santos, acaba ficando na proteção de pneus da curva 1.
Dani Gomes, que vinha em segundo, acaba errando sozinho, e com isso Alexandre e Brock conseguem a ultrapassagem, na sequencia Dani Gomes perde para Emerson Czerkawsky o quarto lugar.
Restando 10 minutos Werner se segurava como podia na ponta com Alexandre Oliveira partindo pro ataque, Brock, Czerkawsky, Maciel, Martins, Gomes, Granado, Porto e Gilson Rodrigues, competavam o TOP 10.
Alexandre Oliveira tenta mergulhar e acaba perdendo a posição para Brock e Czerkawsky, na sequencia Werner erra sozinho na saída da chicane, e com isso Brock e Czerkawsky passam a ser os dois primeiros, com o piloto do #56 atacando Brock.
Restando 3 minutos para o final, Werner tenta ultrapassar Cadu Maciel, e acaba se enroscando com ele, e batendo na proteção de pneus da chicane.
No final de 20 minutos, Emerson Czerkawsky vence a primeira na temporada, com Ernesto Brock em segundo e Alexandre Oliveira passando na terceira colocação da etapa. Ainda fecharam entre os 10, John Martins, Granado, Porto, Gilson Rodrigues, Parma, Sanchez e Gomes.


Bateria 3
Dani Gomes sairia na ponta, com Renzo Sanchez (Mobo Own Racing) em segundo, Parma em terceiro e Gilson Rodrigues o quarto.
Na largada, Dani larga bem, no contorno na primeira curva, passa todo mundo bem.
Renzo Assumiu a ponta da etapa, enquanto mais a atrás Felipe Granado ficava na proteção de pneus da chicane, fim de prova para o piloto da HVM.
Na sequencia mais confusão, Marco Parma toca em Brock. Emerson Czerkawsky pula para terceiro por causa pelas confusões, e John Martins em quarto.
Dani Gomes capota ao tentar passar por Renzo na chicane e passar lotado, mas ainda sim consegue voltar para a etapa.


Renzo Sanchez erra na chicane e Czerkawsky consegue vir a liderança da prova, restando 10 minutos a classificação era: Czerkawsky, Sanchez, Martins, Medeiros, Porto, Marques, Vieira, Horst Jr, Gomes e Marote.
Werner Marote destrói seu carro ao bater na proteção de pneus.
No trecho final, Emerson Czerkawsky tem problemas e começa a perder distância para John Martins, mas no final conquista sua segunda vitória na noite, John fechando em segundo e Anderson Medeiros conquistando o terceiro lugar depois de uma boa corrida de recuperação.


Classificação de Pilotos
John Martins é o novo líder do campeonato, agora com 139 pontos, contra 135 de Ernesto Brock, Alexandre Oliveira é o terceiro colocado com 119 pontos.


Classificação de Equipes
A CTE Racing HVM, segue líder com 183 pontos, a HVM Racing Team agora é a vice líder com 131 pontos, e para fechar o Top 3 em “família” a Herdez Competition com 120 pontos.


Classificação de Construtores
A italiana Alfa Romeo vai para casa na liderança com 183 pontos, a VolksWagen tem 147 pontos, enquanto a Opel fecha o Top 3 com 129 pontos.


Protestos e punições
Bateria 2
C.Maciel > W.Marote – N3, +30s – O piloto acaba perdendo o ponto de freada em disputa por posição ocasionando acidente e punição para outro piloto, agravante para a punição ser N3 e não N2, é o fato do piloto ter um DT a pagar e não precisar entrar em disputa direta com outros pilotos em pista, causando risco mesmo que involuntariamente a outros em pista.
C.Maciel > E.Horst Jr – N3, +30s – Retorno perigoso a pista de forma imprudente.
* O piloto era substituto com isso o carro #50 leva consigo os pontos na carteira.


Próxima Etapa
Agora os bólidos vão para Imola na Itália para a disputa da penúltima etapa do campeonato,


Vt da Etapa



Leia Mais... ►

Vitória amarrada!



Em corrida de muitos acidentes e amarelas, a VORC Series chegou ao Texas para a segunda etapa da temporada da Indycar Series, foram 19 carros que participaram da corrida que foi bastante truncada.

Qualifiyng
A Pole foi uma grande surpresa, o piloto estreante Guilherme Lima (MidiaSom) fez 20.850, em segundo lugar Fabio Marques (Black Wings RT) passou com o segundo tempo, enquanto Jesus Neto (BSP Racing) líder do campeonato foi o terceiro, Diego Said (Black Wings RT) o quinto, e fechando o TOP5 Tonga Guardia estreando no campeonato com a BSP Racing.


Corrida
Na largada que começou bem confusa, Fabio Marques pulou para a ponta, com Guilherme Lima em segundo e Diego Said em terceiro. E Tonga Guardia roda no início da reta, mas volta em segurança para a corrida.


Antes mesmo de relargar  Emerson Czerkawsky (HVM Racing Team) estava saindo dos boxes e acaba rodando e batendo, causando uma nova amarela.
Restando 50 minutos a relargada acontece e Fabio Marques larga bem e dispara na frente, Diego Said vindo em segundo com Jesus Neto na terceira colocação.
Com 47 minutos, nova amarela, Diego Said roda sozinho atrás de Fabio Marques e acaba ficando virado ao contrario na prova.
Nova relargada restando 43 minutos.
E mais um acidente forte, Glauber Belo (Thunder Racing) perde o carro bate no muro interno, e bate de volta em Marcelo Vieira (Parma Motorsports) e Tonga Guardia, fim de prova para o piloto da Thunder que destruiu seu carro.
Os pilotos relargaram com 36 minutos pro final, Jesus Neto partia para cima de Fabio Marques ba ponta, com Rafael Gonçalves e Paulo Maeda em 4º.
Luiz Gustavo (BSP Racing 2) acaba dando uma topada no muro e roda, causando a quinta bandeira amarela da noite, mas o piloto retorna de forma até que “ilesa”
E vários pilotos optam por ir aos boxes para reabastecer e trocar pneus, com isso Marcos Felisberto (Feliberto AV) assumia a ponta com Marcelo Vieira em segundo e Philippe Henrique (BMRS Motorsports) na terceira posição.
A sexta bandeira amarela veio quando Paulo Maeda e Paulo Rodrigues se enroscaram no trecho da reta dos boxes, Paulo Maeda saiu rodando, mas sem bater no muro.
O então líder Felisberto vai aos boxes, com Phil Henrique assumindo a ponta da corrida, com Thiago Luiz (Thunder Racing) aparecendo em segundo lugar, com Jesus Neto já vindo em terceiro. Enquanto o 15º Diego Said consegue retirar uma volta em relação ao líder.
Um acidente múltiplo, após um toque de Paulo Rodrigues em Said, acabou fazendo um efeito cascata com Fabio Marques e Paulo Maeda se envolvendo no acidente e já colocando dois carros da Black Wings de fora.
Phil Henrique, Thiago Luiz e Nathan Marchon (Sinister Race Team) foram aos boxes, com isso Jesus Neto vinha na liderança, com Rafael Gonçalves em segundo e Lino Palladino (Team CTR) em terceiro.
Nova relargada com 17 minutos para o final. Mas mal deu tempo de ver os carros andando e tivemos uma nova amarela após novo toque entre Paulo Maeda e Paulo Rodrigues, que acabou envolvendo os carros de Phil Henrique e Tonga Guardia.
Restando 10 minutos a esperança de um trecho longo em verde era a esperança de todo mundo, mas Felipe Muniz (Melo Autosport) conseguiu causa mais uma amarela.
Restando 5 minutos, nova verde, Jesus Neto liderando a prova, com Rafael Gonçalves em segundo.
Nathan Marchon vinha forte aproveitando o trecho final da corrida, mas uma nova amarela com Felipe Muniz causando uma nova amarela, ao tocar em Luiz Gustavo.
Por surpresa ainda deu tempo de fazer a relargada e ai foi onde o mais inacreditável aconteceu, Jesus Neto roda na ultima curva e acaba dando de bandeja a vitória


 para Rafael Gonçalves 


com Nathan Marchon em segundo e Luciano Rocha fechando em terceiro após grande corrida.


Campeonato de pilotos
Nathan Marchon assume a liderança do campeonato com 40 pontos, 4 a mais que Rafael Gonçalves, Jesus Neto é o terceiro colocado com 33 pontos.


Campeonato de equipes
A Sinister Race Team assume a ponta com 40 pontos, a Black Wings FSW cola em segundo com 36 pontos, e a BSP Racing vem em terceira com 33 pontos.


Protestos e Punições
#45 P.Maeda > #27 P.Rodrigues –N2, +20s – O piloto acaba descendo a linha e ocasionando toque.

Direção > #27 P.Rodrigues – N2.+20s – O piloto entra nos boxes com o setor fechado sem permissão da direção e sem haver o longest line na relargada.

Carteira de Punições


Advertências
#27 P.Rodrigues – Recomenda-se ao piloto se atentar um pouco mais as mudança de linhas, principalmente com outros carros estando próximos de fazer o lado a lado, ou já com o lado a lada, verificar se o spotter do simulador está ativado para ovais pelo menos.

Próxima etapa
Agora os pilotos partem para Wisconsin, onde a categoria correrá em Road America para a terceira etapa do campeonato.


Vt da etapa



Leia Mais... ►

Matheussi e Martins ampliam vantagem.



O Texas vem sendo um bom lugar para Fabricio Matheussi e João Hebert, seguindo na cidade americana, após a etapa de Austin, no circuito que usa o infield e parte do oval do Circuito, mesclando um circuito rápido, curto porém muito estreito, e com um grid de 35 pilotos a palavra emoção seria a bola da vez...

Qualifiyng
Na Prototype Ricardo Prediger (Team Schnell) que é piloto Part-Season na temporada, vem fazendo um ótimo trabalho e surpreendeu ao colocar seu Dallara Corvette na pole com 58.914, Bruno Miranda (BMRS Motorsports) atual campeão, com seu Lola B12 apareceu em segundo com 58.966, na sequencia Bruno Fernandes (MS-2 Motorsports) desta vez substituindo Felipe lima foi o terceiro e Fabricio Matheussi (RM Racing) líder em quarto dos 13 protótipos que chegaram para a etapa.



Na GTD, João Hebert Santos (M Tech Academy) fez 1:03.502 assumindo assim a pole, Thiago Procopio (BenKleR Racers) fez o segundo melhor com 1:03,603, Ernesto Brock (CTE Racing HVM) iniciaria em terceiro e Alisson Borges (M Tech Academy) em quarto ligar, Cadu Maciel (Scuderia TechForce 2) fechando o TOP 5.


Corrida
Na largada uma baixa, Thiago Procopio e John Martins tiveram problemas e acabaram ficando de fora da largada. Os 34 restante saíram para a pista, para a largada em fila indiana que faz parte do regulamento da categoria. E em virtude de um atraso por problemas no grid durante o qualifiyng, a corrida passou de 90 minutos para 75 minutos.
Prediger larga bem tranquilo,


 apenas um erro de Lino Paladino o fez cair para ultimo da sua classe na GTD Brock tentava se aproximar de João Hebert que seguiu líder da prova. Felipe Gula (MS-2 Motorsports) perde posições para Emerson Czerkawsky (HVM Racing Team) e Augusto Falcão (Kinetic) na parte de trás do Grid.
Logo mais atrás Lino Palladino (Team CTR) que vinha enfrentando dificuldades com seu DPI, acabou sendo tocado por Ernesto Brock e rodou na pista.
Logo depois foi a vez de Lino, que acabou se tocando com Alisson Borges e ocasionando a rodada do piloto do Lexus.
Com 1 hora e 8 pro final, Kleber Neto (Scuderia TechForce) acabou ficando parado na curva 1 ocasionando a primeira bandeira amarela da corrida.
Mesmo com pouco tempo de prova, alguns DPI e GTD foram para os pits para começar uma estratégia diferente.
Com 55 minutos, reinicio de prova, Prediger segundo na liderança do DPI e João Hebert na GTD.
Vinicius Gonçalves (BMRS Motorsports – GTD) acabou sendo vítima do esse, ao tocar na barreira de pneus, na volta seguinte Dani Gomes roda, volta para a pista de forma perigosa, e acaba batendo em Paulo Rodrigues e Emerson Czerkawsky, onde na sequência Czerkawsky acabou tocando na barreira de pneus do esse e bate forte, tendo um pneu furado.
Na quarta colocação, Vinicius Loyola (BMRS Motorsports) disputava com Fabricio Matheussi.
Com 19 voltas e 50 minutos para o final, Vinicius Loyola, sai muito rápido de trás de André Brito tenta frear muito dentro da curva e não deixa tempo de reação para Paulo Antunes (Time XtraBe) e acerta o piloto do Porsche #36, fazendo o mesmo ir ao muro e bater.
Mais confusão na sequência, com Werner Marote (Team Schnell – DPI) se tocando com Marco de Andrade (M Tech Sports – GTD) com o catarinense levando a pior e sendo rodado.
Restando 45 minutos, Fabio Santos (268 Racing – GTD) foi mais um a se acidentar nos esses e acabou batendo forte e abandonando e com isso a segunda amarela da noite foi agitada.
Na relargada Bruno Fernandes liderava após as paradas dos pilotos da GTD, enquanto João Hebert seguia líder da sua classe. 


Quando restava 33 minutos para o final da prova.
Chegando a 30 minutos para o final, Bruno Fernandes seguia na ponta, tentando abrir ao máximo até chegar sua parada ou contar com novas amarelas, Dani Gomes (Chrome Racing), e ai uma pancada violentíssima com Lino Palladino que vinha em 6º e tocou nos pneus do esse do miolo sendo mais uma vitima e destruindo o seu Lola B12, ainda se tocando com Augusto Falcão que conseguiu sair relativamente ileso.
Restando 24 minutos, Lino Palladino tem seu motor estourado e dá adeus a prova.
Com 21 minutos pro final, Bruno Fernandes e Dani Gomes fazem enfim suas paradas, com isso Matheussi volta a liderança.
Brock e Alisson Borges seguiam duelando pelo segundo lugar da prova após 42 voltas
O Lider Fabricio Matheussi toma um susto restando 15 minutos, quando ao sair do infield, acaba traseirando e rodando na pista, mas ainda sim voltando a frente de Ricardo Prediger na liderança.


Bruno Miranda que pouco apareceu, vinha em terceiro lugar no final da prova.
Restando 11 minutos pro final, o peruano Tito Tomey (Mobo Owl Racing) acabou
passando direto na curva 2, e com isso gerando a terceira bandeira amarela da prova, o que deixou uma situação de indecisão se a corrida terminaria em bandeira amarela, ou daria tempo de uma verde.
Alguns pilotos da GTD foram aos boxes, para tentar arriscar uma nova estratégia para o final, quando se notou que haveria uma relargada em verde antes do final.
Com 1 minuto e 10 pro final relargada para o trecho final da corrida, Matheussi dispara tentando fugir de qualquer ataque de Prediger e Bruno Miranda, nos GTD João Hebert seguia líder com Alisson Borges em segundo.


Matheussi consegue ficar a frente e vence a segunda corrida na temporada, com Ricardo Prediger em segundo e Bruno Miranda em terceiro, porém com Bruno Miranda levando um DQ no pós corrida pelo não envio do LOG.
João Hebert também vence sua segunda corrida na temporada, com direito a dobradinha, Alisso Borges foi o segundo e Ernesto Brock em terceiro.

Resultado Prototipos


Resultado GTD


Protestos e Punições
Direção > #1 B.Miranda – DQ – O piloto não enviou o log dentro do prazo do regulamento.
#25 P.Henrique > #27 P.Rodrigues – Indeferido, o piloto do #25 muda de trajetória indo para cima do #27, O DPI já constava a frente do final da traseira do #25, com certeza o spotter do simulador já havia avisado que havia um carro ali, o acidente foi culpa do #25.

#87 W.Marote > #2 V.Loyola – N2, +20s – o piloto do #2 bate na traseira do #87

#36 P.Antunes > #2 V.Loyola – N2, +20s – o piloto #2 vem atrás de um GTD (#14 A.Brito) e sai subitamente da traseira do mesmo chegando no ponto de freada em 6ª e 273 km/h sem se preocupar com o trafego a frente ao invés de frear antes e com cautela, deixou para frear dentro, assumindo assim a responsabilidade pelo mergulho na curva.

#50 M.de Andrade > #87 W.Marote – N2, +20s – O piloto do #87 bate na traseira do #50 o fazendo rodar.

#50 M.de Andrade > #25 P.Henrique – N3, +30S – O piloto #25 após se enroscar com o #27, volta para a pista de forma imprudente em pleno ponto de freada da curva causando assim um acidente múltiplo entre o 
#50, e levando junto o carro de #56 (E.Czerkawsky).

#2 V.Loyola > #36 P.Antunes – Indeferido – o protestante foi o culpado do acidente.
Direção > #65 C.Santana – N3, +30s – Batida em bandeira amarela.

Carteira de punições

Advertências
#77 D.Gomes – recomenda-se ao piloto que o mesmo tome mais cuidado com retorno a pista após rodadas e etc. uma mera ré ao invés de tentar acreditar em ir para frente teria evitado prejuízo em outros 2 carros.

#25 – P.Henrique – conforme sempre recomendado, a liga instrui em seus briefings, os pilotos que estiverem exaltados pós corrida devem se acalmar e depois fazer os seus procedimentos cabíveis em caso de acidente e não ficar procurando os organizadores para desabafar ainda com a adrenalina de qualquer situação, assim mantendo uma boa situação de não se entrar em algo desagradável.

#2 – V.Loyola – O piloto atingiu um alto numero de pontos em sua carteira, ficando assim seriamente correndo risco em caso de novas punições, correr com mais calma e se antecipar a possíveis acidentes, principalmente quando enfrenta o tráfegos de GTD, use como o exemplo o piloto que estava disputando (#63 F.Matheussi) com você quando se acidentou com o #36, ao ver o alto trafego de carros na freada da curva o mesmo freou antes e não se arriscou deixando para frear dentro da curva. Mais calma ajudaria muito...

Punições para Hermanos Rodriguez
#72 Paulo Estevão - +5 posições no Grid (acumulada de COTA, não paga em Texas)
#2 Vinicius Loyola – o piloto terá de largar dos boxes.
#25 Philippe Henrique – o piloto ficará sem qualy, porém larga junto com o pelotão

Prototipos
Campeonato de pilotos:
Fabricio Matheussi vem 100% com os 50 pontos conquistados, Ricardo Prediger vice líder com 31 pontos e Vinicius Loyola sendo o terceiro com 26 pontos.


Campeonato de equipes
A RM Racing, vem com 50 pontos, seguida pela BMRS Motorsports que vem com 36 pontos, e a Team Schnell fechando o TOP 3 com 31 pontos conquistados.


GTD
Campeonato de pilotos
João Hebert lidera com 50 pontos, contra 29 de Edgar Horst Jr e Wendel George que faz a temporada como part-season surpreende em terceiro com 27 pontos.


Campeonato de equipes
A M Tech Academy lidera com 50 pontos, contra 29 da M Tech Sports, e a Herdez Competition fecha o TOP 3 com 27 pontos.


Agora os pilotos e equipes descem aproximadamente 1.845 kilometros em direção ao Autodromo de Hermanos Rodriguez no México, para a terceira etapa do campeonato.


Vt da Etapa


Leia Mais... ►

Alexandre Oliveira duas vezes e Ernesto Brock vencem em Helsinki após muita emoção e penalizações



Em uma corrida emocionante e desafiadora, Alexandre Oliveira fatura duas baterias e Ernesto Brock venceram as ruas de Helsinki e lideram o campeonato.

A segunda etapa da TCR Series prometia já pelo circuito: Helsinki Thunder, um circuito de rua, ondulado e extremamente desafiador. As três baterias foram literalmente de sobrevivência e os poucos que foram até o fim, travaram disputas belíssimas e valeram o ingresso.

Na classificação, Alexandre Oliveira (Herdez Opel) fez a pole position sendo o único a virar na casa de 25 com 1:25.950 colocando mais de meio segundo em John Martins (CTE Alfa Romeo) com tempo na casa de 1:26.5. A segunda fila é formada por Anderson Medeiros (BSP-2 Alfa Romeo) e Ernesto Brock (CTE Alfa Romeo).


As funilarias finlandesas tiveram bastante trabalho...

A corrida dos ponteiros foi decidida logo na largada. Alexandre manteve a ponta e segurou a pressão inicial do John. Destaque do início foi o acidente entre as BSP de Gilson Rodrigues e Anderson Medeiros, que levou a pior e abandonou. Um pouco depois outro incidente de destaque: Dani Gomes (Chrome Opel) e Gilson Rodrigues se enroscam na entrada da reta oposta, Paulo Rodrigues (TimeXtaBe Peugeot) que vinha em sexto se assustou e capotou. Além desses acidentes, Jesus Neto (BSP Volkswagen) e Marcelo Vieira (Parma Lada) se bateram logo no início, Marco de Andrade (M-Tech Audi), o estreante Jonatan Brochier, Felipe Granado e Emerson Czerkawsky (HVM Volkswagen) também abandonaram a bateria. Alexandre Oliveira rumou sem maiores dificuldades para a vitória. John acompanhou bem e terminou em segundo e Ernesto Brock fechou o pódio. Tito Tomey fez uma excelente bateria terminando em quarto; Jesus Neto (BSP Volskwagen) e Alexandre Vscud (FTR Audi) conseguiram se livrar dos acidentes e fecharam na quinta e sexta posição.


Na segunda bateria os acidentes continuaram em grande número e os funileiros ficaram mais felizes! 

Logo na primeira volta, Felipe Granado (HVM Volkswagen) que estava em terceiro, Fernando Esquitino (Branca Cupra) e Jonatan Brochier bateram forte e abandonaram a prova.

 Durante a bateria mais pilotos ficaram pelo caminho: Alexandre Oliveira e Emerson Barina (Herdez Opel), Marcelo Vieira (Parma Lada), Alexandre Vscud (FTR Audi) e Paulo Rodrigues. Na pista, quem venceu a prova depois de suportar a pressão de Czerkawsky e no final pelo Ernesto Brock foi Gilson Rodrigues,



 seguido por Dani Gomes em segundo. Masssss, o não envio do LOG (é regra para os 2 primeiros) desclassificou os dois pilotos. Com isso, Brock ficou com a vitória, Tito Tomey fez outra excelente bateria e fechou em segundo e Jesus Neto, mesmo após um incidente com Brock e perdendo algumas posições, fechou em terceiro. Marco Parma, John Martins se atrapalharam em alguns momentos e fecharam em quarto e quinto. Emerson Czerkawsky, Marco de Andrade e Anderson Medeiros também completaram a prova.


Punições:Gilson Rodrigues - DQ - Não envio do Log
Dani Gomes - DQ - Não envio do Log
A derradeira da noite também foi acidentada. Anderson Medeiros e Marco de Andrade dividiram a primeira fila e logo na primeira curva Fernando Esquitino, Emerson Barina e Jonatan Brochier se enroscaram e perderam muito tempo enquanto Marco de Andrade passou reto e perdeu várias posições. A luta pela vitória foi a mais emocionante da etapa depois do abandono de Anderson Medeiros. No final, 4 pilotos protagonizaram um final digno da categoria. Jesus Neto foi o sexto vencedor diferente em seis baterias e Alexandre Oliveira ficou a apenas 36 milésimos na segunda posição. Ernesto Brock terminou mais uma vez entre os primeiros e Dani Gomes fechou o quarteto da frente. Mas mais uma vez a vitória mudou de mãos, pois Jesus Neto foi penalizado por um incidente na bateria e caiu para a quint posição. Com isso a vitória ficou com o Alexandre “Zé da Meia”, Brock em segundo e Dani em terceiro. Coroando uma excelente noite, Tito Tomey mais uma vez no top5. Gilson, Paulo, Marcelo Vieira, John Martins e marco Parma fecharam o top10 e os que conseguiram finalizar. Além de Esquitino e Brochier, Czerkawsky, Medeiros, Marco de Andrade e Felipe Granado também abandonaram a bateria.


Punições:A.Oliveira > J.Neto - N2 +20s - Decorrência de toque
Após muitos amassados e ferimentos, o campeonato segue embolado. Pelos pilotos, Brock assume a liderança com 98 pontos, seguido por Alexandre Oliveira com 89 e John Martins com 81 pontos.


Já nas equipes, a CTE é a primeira com 118 pontos, seguido por Herdez Competition e HVM Racing Team com 90 e 61 pontos.


Já pelos construtores, a Alfa Romeo é a líder com os 118 pontos da CTE, a Opel é a segunda com 99 pontos e a Lada é a terceira com 79.


A próxima etapa será no pouco conhecido e desafiador circuito de Vasco Sameiro, em Braga e os pilotos terão 2 semanas para arrumarem a lataria para o seguimento deste emocionante campeonato. Fique ligado na XtremeTV!


VT da Etapa

Leia Mais... ►

Jesus Neto abre temporada com vitória pela Indycar Series


Na noite do dia 06 (seis) de setembro, prévia de feriado nacional, a representação virtual do autódromo de Barber Motorsport Park, no estado do Alabama, sediou a primeira etapa da mais nova categoria da VORC Series, a Indy Car Series.
Esta novidade muito aguardada proporcionou o retorno de pilotos consagrados nas categorias de fórmula, que mesmo com grid de 15 carros (muitas faltas em decorrência do feriado) proporcionaram uma corrida com muitas ultrapassagens e algumas bandeiras amarelas.

Qualify:
A pole position ficou com o Jesus Neto da BSP, numa volta divina colocou mais de oito décimos no segundo colocado, Nathan Marchon da equipe Sinister. Fecharam os 6 primeiros: Marcos Felisberto (Felisberto AV), Paulo Estevão (Kinetic), Glauber Belo (Thunder) e Rafael Gonçalves (Black Wings).


Corrida:
Largada autorizada, e os pilotos mostraram muito respeito, proporcionando uma largada limpa, com poucos toques.
Nathan até que tentou, mas Neto conseguiu manter a posição de honra e passou a abrir vantagem em relação aos demais. Glauber Belo fez uma ótima largada e se posicionou no TOP3 neste inicio.


Após algumas voltas em ritmo de bandeira verde,   Neto Silva abria vantagem na ponta, enquanto que nas outras posições algumas brigas monopolizavam a transmissão, como foi o caso da disputa pela posição de número 10. Emerson Czerkawsky (HVM), Luciano Rocha (#268) e Luiz Gustavo (BSP2) trocavam de posições a cada curva do pequeno circuito do Alabama. Foi um passa e repassa  entre os três carros que divertiu quem assistia a corrida.
Logo na sequencia, em uma tentativa de ultrapassagem, o piloto português Paulo Estevão escapa na curva 1 e bate de frente na barreira de pneus. Ainda assim, o piloto da Kinetc conseguiu retornar para corrida apenas com danos materiais e sem necessidade de bandeira amarela.
Com dez minutos de prova, Diego Said merecia destaque. O piloto da Black Wings largou na 15ª e última posição e neste momento já disputava segundo posto da prova, após bela ultrapassagem sobre Nathan.
Após 15 minutos de prova, a primeira bandeira amarela foi acionada devido a um conjunto de acidentes envolvendo os pilotos da terra do descobrimento.  Paulo Estevão novamente envolvido, juntamente c om seu xará Paulo Rodrigues. Ambos se tocaram e após retorno de ambos, um novo incidente provocou o abandono do Paulo Estevão.
Neste momento, Neto Silva administrava a corrida já com mais de nove segundos para Felisberto, que após paradas dos boxes em bandeira verde, retornou na vice liderança.


Na volta de relargada, já quase na metade da prova, Emerson Czerkawsky perdeu a traseira e levou de brinde o piloto Luciano Rocha, mas ambos conseguiram retomar a corrida com danos materiais.
Como dizem no mundo do automobilismo, “amarela chama amarela”, logo na sequencia o motor de Glauber Belo pediu demissão fazendo com que o piloto da Thunder  voltasse a pé para os boxes. Este lance provou a segunda amarela da noite e causou movimentação no pitlane.
Na relargada, pela primeira vez Neto Silva precisou disputar posição. Luiz Gustavo retornou em primeiro, com Neto e Said lutando no TOP3. Neste momento Nathan Marchon , Rafael Gonçalves e Marcos Felisberto completavam os 6 primeiros.
Emerson Czerkawsky foi o próximo a dar adeus à corrida e provocar a terceira amarela da noite, faltando pouco mais de 20 minutos para o fim do evento.  O piloto da HVM perdeu a traseira nos “S” e bateu de frente na barreira de proteção.
Relargada autorizada, Neto Silva manteve a liderança, enquanto mais atrás Luiz Gustavo e Nathan Marchon disputavam o terceiro posto, porém, o piloto da Sinister levou a pior quando tentou dividir a curva dois, perdendo o carro e dando uma passeada na grama.
15 minutos para o final, Luciano Rocha foi mais um que causou a entrada do Safety Car. O piloto da #268 encontrou a barreira de pneus, também causado pela perda da traseira no contorno do “S”.
Após nova movimentação nos boxes, as táticas para o fim da corrida deram uma movimentada nas posições. Feliciano voltava em primeiro, com Neto e Said no TOP3. Nathan, Luiz Gustavo e Marcelo Vieira numa boa constância, fechavam os seis, porém, a boa corrida do piloto da Parma acabou a 2 minutos do fim por quebra de motor.
A bandeira verde veio no fim, e consagrou a noite perfeita de Neto Silva da BSP. O piloto divino venceu, com Nathan Marchon , Diego Said, Marcos Felisberto e Rafael Gonçalves fechando os TOP5. Ainda concluíram a prova Lino Palladino da CTR e Thiago Luiz da Thunder.


Campeonato de pilotos:
Jesus Neto se lança na liderança do campeonato, com os 25 pontos iniciais do campeonato, Nathan Marchon aparece em segundo com Diego Said comboiando em terceiro.


Campeonato de equipes:
No campeonato de equipes a BSP Racing começa na liderança, com a Sinister Race Team em segundo e a Black Wings RT fechando o TOP 3 do campeonato.


A Próxima etapa do campeonato será no oval do Texas onde os pilotos irão enfrentar o primeiro desafio da categoria nesse tipo de traçado nesta temporada.

VT da etapa

Leia Mais... ►