MENU

Drop Down MenusCSS Drop Down MenuPure CSS Dropdown Menu

Fabricio Matheussivence mais uma no campeonato e coloca as duas mãos na taça! John Martins vence pelos GT e embola a briga pelo título da classe



O feriado do “Dia das Crianças” deixou a garotada da VORC bem cansada, colocando o bom grid da IMSA sob uma etapa desafiadora e, mesmo num feriadão, a etapa contou com 27 pilotos em pista no circuito de Saint Petersburg.
Na classificação Bruno Miranda (BMRS) faz uma volta “no capricho”, crava 1:00.520 e marca a pole position, seguido por Fabricio Matheussi (RM), seu rival direto na briga pelo título. Fechando os cinco primeiros vieram Bruno Fernandes (MS-2), Ricky Esteves (4EverBR) e Vinicius Loyola (BMRS).


Já pelos GTsCadu Maciel (TechForce) cravou a pole e com uma vantagem relativamente grande, considerando o equilíbrio da classe, colocando quase meio segundo no segundo colocado, John Martins (CTE). Thiago Procopio (BenKleR), Alisson Borges (MTech) e João Hebert (MTech) fecharam os cinco primeiros da classe.


Logo antes da largada Ricky tem uma queda energia e fica fora da etapa.
O início da corrida, por ser uma pista curta e todos andarem próximos, foi bem agitado. Os líderes conseguiram abrir uma pequena mas confortável vantagem, enquanto nas segundas posições de ambas as classes as brigas aconteciam. Entre Matheussi e Fernandes nos protótipos e Procopio, John, Alisson e João. Outra briga muito boa era a de Ricardo Prediger(Schnell) (guarde esse nome) e Loyola. O piloto da Team Schnell vinha forte tentando ganhar posições e, um pouco afoito, acabou errando e tocando o muro, prejudicando sua corrida e perdendo contato, tendo que parar nos boxes e levando uma volta dos líderes de sua categoria.
À medida que o pelotão da frente ia se aproximando dos retardatários a corrida começava a se bagunçar. Bruno Miranda perdeu toda sua vantagem quando chegou em um grupo de GTs. Porém o grande beneficiado nem foi Matheussi, que também teve de segurar o ritmo e viu o outro Bruno, o Fernandes, passar por ele de passagem.
Cadu aparenta ter problemas e perde ritmo. Alisson Borges chega no piloto da TechForce que não esboça reação e deixa o piloto da MTech passar na curva 1. Do mesmo modo Fabricio Matheussi mergulha na curva 1 pra cima de Bruno Fernandes, que também não esboça reação e entrega a posição, passando a seguir o líder do campeonato, até que erra na freada do fim da reta oposta e perde a asa de seu carro, sendo obrigado a parar.
Restando pouco menos de 55 minutos para o fim da etapa Cadu sofre um acidente. Primeiro, após um retardatário bater no guard-rail e ser arremessado de volta pra pista, Cadu o atinge e perde o para-choques de seu Lexus. Na volta seguinte encontra João Hebert saindo dos boxes, toca o piloto, roda e bate forte, sendo atingido, ainda, por um retardatário e destruindo seu carro. O piloto tem de dar adeus a corrida e acabou ocasionando a primeira amarela da noite.
E foi nessa hora que a estratégia funcionou. Matheussi, que já tinha entrado nos boxes quando a amarela foi chamada, ficou na primeira posição. O grande destaque foi a manobra inteligentíssima de Prediger (ainda guarde mais o nome). O piloto não parou na volta destinada aos protótipos, ficou atrás do SafetyCar, ganhou o direito de dar uma volta e se realocar atrás do último de sua classe, descontando a volta que tinha tomado dos líderes, e parou assim que foi dada a relargada, caindo para o fim do pelotão porém na volta dos líderes.
A amarela juntou novamente o grid e proporcionou boas batalhas assim que a verde foi acionada. Na décima nona posição do geral uma briga de 5 GTs se formava entre Railton Melo (TechForce), Marco de Andrade (MTech), Rogerio Reis (Hornet), Gabriel Marcos (BMRS) e Luciano Rocha (268). Ao mesmo tempo a briga na ponta esquentava com Bruno Miranda partindo pra cima de Matheussi e Bruno Fernandes partiu pra cima e conquistou a terceira posição novamente em cima de Vinicius Loyola.
Thiago Procopio erra sozinho e bate forte no S de alta, danificando de vez seu carro e, para completar, sofre uma queda de conexão e abandona de vez a etapa.
Uma boa briga pela segunda posição dos GTs trazia Edgar Horst Junior (MTech), João Hebert e John Martins, até que Edgar também sofre uma queda de conexão. Pouco mais a frente mais uma mudança, Alisson, que corria sozinho, sofre acidentes seguidos e fica com seu veículo muito avariado, deixando a briga entre João e John, que na volta anterior era a briga pela terceira posição, sendo a briga da vitória.
Bruno Miranda, assim como Bruno Fernandes fez no início da corrida, aproveitou a cautela de Matheussi com o tráfego e passou para assumir a ponta da corrida. Entretanto não foi suficiente. Após a rodada de paradas nos boxes Matheussi voltou 10 segundos atrás de Bruno. Porém algo parecia estranho, já que ambos andavam juntos. E realmente tinha algo errado. Bruno tem que fazer outra parada e Fabricio vai para a ponta e Prediger (lembrou de guardar o nome?) vai para a segunda posição. Como se não fosse suficiente Bruno roda e entra nos boxes de novo e mais uma vez o pit é muito rápido. Qual seria o problema? O piloto não conseguia trocar os pneus? O fato é que Bruno não consegue seguir na prova e é obrigado a abandonar, deixando a vitória de bandeja para Matheussi, que já estava 25 pontos na frente na tabela antes da etapa e, agora, coloca as duas mãos na taça.



Uma batida de Alisson Borges a 3 minutos do fim traz a segunda e última amarela da noite.
Fabricio Matheussi vence mais uma, a terceira em quatro etapas. Bruno Fernandes fecha na segunda posição e ele, Ricardo Prediger fecha numa heroica terceira posição, que lhe rende, de quebra, a vice colocação na tabela.
Pelos GTs John Martins vence a embolada corrida e embola também na briga pelo título. João Hebert é o segundo e Cristiano Gomes (Calango) o terceiro.



Protestos e Punições
A.Borges > L.Paladino - N3 +30s - agravante, por ser na saída de box e no briefing foi notificado que quem saia dos boxes devia zelar na saída.
A.Borges > R.Prediger - N2 +20s. Toque no GTD em ultrapassagem em ponto inapropriado.
C.Maciel > W.Marote - N2 +20s. Toque no GTD em ultrapassagem.
C.Maciel > A.Borges - N3 +30s  - agravante, por ser na saída de box e no briefing foi notificado que quem saia dos boxes devia zelar na saída.
W.Marote > V.Loyola - N2 +20s - Toque no GTD em ultrapassagem.
Direção > C.Maciel - N1x2 +20s - Uso de farol para reclamação
Direção > R.Reis - ESC sem permissão.


Sanções para próxima etapa.
Alisson Borges +15 posições
Cadu Maciel  +10 posições
Rogerio Reis - Larga dos Boxes
Vinicius Loyola - Suspensão etapa de Indianapolis.

Campeonato de Pilotos
Fabricio Matheussi faz 95 pontos, e agora tem 42 de vantagem para Bruno Miranda, e precisa fazer 9 pontos para confirmar o título nas corridas restantes.


Campeonato de Equipes
RM Racing lidera com 95 pontos, enquanto a BMRS Motorsports com 69 pontos, e a Team Schnell vindo com 63 pontos.


GTD
Campeonato de Pilotos
João Hebert Santos, lidera com 71 pontos, com 21 pontos de vantagem para 50 pontos de John Martins. Edgar Horst Jr está em terceiro com 48 pontos.


Campeonato de Equipes
M Tech Academy lidera com 90 pontos, enquanto a CTE Racing Racing ficou vice lider com 74 pontos por enquanto, e a M Tech Sports fechando em terceiro com 55 pontos.


Próxima etapa.
A próxima etapa acontecerá no tradicional circuito de Indianapolis em sua versão Road Course, com transmissão ao vivo da XtremeTv ao vivo a partir das 21:30h.