MENU

Drop Down MenusCSS Drop Down MenuPure CSS Dropdown Menu

Loucura total



Em etapa cheia de acidentes e confusões com amarelas, pilotos sendo punidos, corrida americana fecha metade do campeonato, deixando a briga em aberto em temporada que mostra a total incognita que está sendo as etapas da Indycar Series.

Quinta feira foi dia de Indy na Vorc Series. Realizada na fantástica representação virtual do circuito de Road America. Usada também nos campeonatos de sport protótipos, o tradicional traçado localizado no estado de Wisconsin recebeu a 3ª etapa da categoria norte americana.

Qualify:
Com um grid de 20 carros, alguns nomes novos, outras ausências sentidas, mas o nome da frente não foi novidade. Nathan Marchon (Sinister), líder do campeonato até então, marcou a pole position, sendo acompanhado do competente Marcos Felisberto e do mexicano voador Emerson Czerkawsky (HVM) fecharam o TOP3 da classificação.



Race:
Largada autorizada Nathan Marchon (Sinister) e Marcos Felisberto mantiveram as posições, enquanto mais atrás, Said (Black Wings) e Czerkawsky brigavam pelos poucos metros de asfalto, até que o piloto da HVM perdeu a traseira de seu Dallara após toque e caiu para as posições do fundo do grid. Lucas Werle que estreava na categoria pela BSP, em substituição a Neto Silva, foi o primeiro a se envolver em incidente, perdendo o bico logo na 3ª curva.
Após início frenético, a corrida se estabilizou com pelotões mais separados. Neste momento, destaque era para o argentino da BSP Tonga Guardia que largou do 18º posto e já ocupava o TOP5 ainda nos primeiros giros. Abandonavam a prova Lino Palladino (CTR) e Luciano Rocha (#268) por problemas de conexão.
Com 5 minutos de corrida, Felipe Muniz (Melo Autosport) perdeu o carro na saída da curva 1 encontrando a barreira de pneus causando a primeira bandeira amarela com entrada do Safety Car. Com isto, grande parte dos competidores aproveitaram para fazer o primeiro pit.
Felisberto, Czerkawsky e Thiago Silva (Thunder) optaram por permanecer em pista e lideraram o pelotão durante a relargada. Mais atrás, Paulo Maeda (Black Wings) perdia o ponto de frenagem e se chocava com os pneus ao final da reta oposta, felizmente apenas com pequenos danos.
Emerson Czerkawsky (HVM) optou por uma estratégia contrária ao resto e conseguiu assim liderar a corrida até ser alcançado por Said e Marchon que vinham com pneus melhores neste momento.
Lucas Werle (BSP) foi o responsável pela segunda bandeira amarela da noite, esta com 20 minutos de corrida. Neste momento, muitos pilotos optaram por nova parada de box. No retorno, metade da corrida já havia passado e as colocações do TOP5 eram: Marcos Felisberto, que estava em estratégia diferente, em primeiro, seguido por Said, Nathan Marchon, Felipe Gomes (Sim Force) e Paulo Rodrigues (XtraBe). Emerson Czerkawsky (HVM) teve um problema com seu motor e não conseguiu retornar após parada, sendo o 6º carro a abandonar.
Guilherme Lima (MidiaSom) em disputa com Paulo Rodrigues, provocou nova bandeira amarela ao passar reto na frenagem da reta oposta. Nove carros permaneciam na corrida faltando pouco mais de 20 minutos para o encerramento. Todos os carros novamente dirigiram-se aos boxes para nova rodada de pits.
Tonga Guardia (BSP), que era um dos destaques da corrida pela sua subida na grade de posições, perdeu o controle de seu carro na saída da curva 1, dando um 360° sobre o asfalto. O piloto argentino conseguiu retornar com poucos danos, mas provocou uma grande big one para os que vinham atrás. Paulo Rodrigues (XtraBe), Felipe Gomes (Sim Force) e Luiz Gustavo (BSP) foram vítimas em conjunto e abandonaram a disputa.
A corrida teimava em não terminar de modo normal. Nos 15 minutos finais, dois pilotos ainda tiveram revés na disputa. Marchon, Said e Tonga disputavam ferrenhamente a liderança, até que o piloto da Sinister protagonizou uma saída de pista. Ao retornar para pista, o motor de Marchon não suportou o aquecimento, ocasionando abandono. Outro motor Honda que abriu o bico foi o de Marcelo Viera da Parma, provocando a última bandeira amarela.
E assim encerrou-se a etapa 3 da Indy na Vorc Series, com o sobrevivente e rápido Rafael Gonçalves (Black Wings) vencendo a corrida. Mesmo com punição de 20 segundos. Marcos Felisberto sendo desclassificado  e Tonga Guardia (BSP) também punido em 20 segundosfechariam o pódio. Mas Vinicius Loyola (BMRS) fechou em terceiro e Diego Said (Black Wings) nas respectivas posições.


Protestos e punições:
Direção > M.Felisberto – DQ – Não envio do log no prazo estipulado.
E.Czerkawsky > R.Gonçalves – N2, +20s – Toque no oponente o fazendo rodar.
M.Vieira > V.Loyola – N3, +30s – Colisão em bandeira amarela, piloto substituto, acumulado ao carro #25.
Direção > T.Guardia – N2, +20s – Não reposição de asa dianteira durante a corrida, e entrando em disputa com outros pilotos, colocando oponentes em possíveis riscos.


Classificação de pilotos
Rafael Gonçalves mesmo com o susto da punição, segurou a vitória e aumenta a vantagem na liderança com 61 pontos, com Nathan Marchon tem 51 pontos, enquanto Jesus Neto fecha em terceiro com 33 pontos por enquanto.


Classificação de equipes
A Black Wings FSW assume a ponta do campeonato com 61 pontos, a BSP Racing pula pro terceiro lugar agora com 53 pontos, enquanto a Sinister Race Team chega a 51 pontos no terceiro posto.


Próxima etapa
Agora os pilotos atravessam a fronteira e vão para Toronto, no Canadá, para a penúltima etapa no circuito de rua local.


Vt da Etapa: