MENU

Drop Down MenusCSS Drop Down MenuPure CSS Dropdown Menu

Emoção, drama e surpresa em grande final da TCR Series Europa.


 A grande final da disputadíssima TCR Series foi em uma noite de reviravoltas e histórias de superação. O palco não poderia ser melhor: Monza recebeu a caravana para encerrar o certame em 3 baterias. Na disputa pelo caneco estavam Emerson Czerkawsky, Ernesto Brock, John Martins e Alexandre Oliveira. Este último faltou a etapa por motivos pessoais e ficou de fora pela disputa do título.

Na classificação, Ernesto Brock começou distribuindo as cartas e marcou a pole position com 1:59.137 contra 1:59.167 de Jesus Neto que ficou com a segunda posição. A segunda fila ficou com mais BSPs com Anderson Medeiros e Gilson Rodrigues.



Na primeira bateria John Martins larga bem e assume a ponta até a primeira curva, onde errou e perdeu várias posições. Brock mantém a ponta com o trio da BSP logo atrás. Czerkawsky com problemas na largada caiu para 17º....

Vamos abrir um parêntesis para a situação do Czerkawsky. Com problemas no seu computador, teve que voltar ao seu velho guerreiro Notebook para encara a última etapa, pois era o líder até então.

Duas voltas depois, Jesus passou o Brock e Felipe Granado assumiu a terceira posição com o enrosco da dupla da BSP com John Martins, que se deu mal e bateu forte. No meio do grid como sempre corrida agitada com Paulo Rodrigues, Fernando Esquitino, Jonathan Brochier, Tito Tomey, Marcelo Vieira e Cesar Bergesch. Destaque para a manobra do Marcelo que fez uma dupla ultrapassagem no fim da reta dos boxes. O Brock estava tirando muita diferença para o Czerkawsky na pontuação, mas faltando 6 minutos uma sequencia de rodadas fez o piloto mexico-polonês sair de 12º para 7º, quando Esquitino, João Hebert, Tito, Brochier, Marcelo deram aquela “colher de sopa” na segunda chicane. Logo após, Granado errou duas vezes e perde o pódio para Gilson. Brock venceu com certa tranquilidade após ultrapassar Jesus em um pequeno deslize, 
Neto abriu passagem para Gilson e fechou o pódio. Destaques para o quarto e quinto de Paulo Rodrigues e Cesar Bergesch. Czerkawsky foi o sexto e John Martins foi apenas o décimo-quinto.
Mas no final Gilson foi desclassificado pelo não envio do LOG obrigatório aos dois melhores de cada bateria.



A segunda bateria foi marcada por muitos incidentes nas primeiras curvas, porém foi mais quente em disputas, muitas delas mais acirradas. Dani Gomes assumiu a ponta e abriu certa vantagem. Brock que saiu de décimo para segundo, destaque também para Werner Marote, que depois de faltar a primeira bateria, largou em vigésimo e já se encontrava em nono. Na metade da bateria os postulantes ao título Brock era o terceiro, Czerkawsky em quinto e John Martins em sexto. Faltando perto 5 minutos para o fim, Czerkawsky cometeu um erro na Ascari e perdeu posições importantes para a manutenção da liderança do campeonato. Faltando 1:30 para o fim Brock perdeu a terceira posição para Gilson Rodrigues. A corrida estava se desenhando muito bem para a primeira vitória de Dani Gomes, 


porém na última volta, Jesus Neto concretiza uma linda ultrapassagem por fora na primeira Dilesmo e vence a bateria. Dani ficou com a segunda posição e Gilson foi o terceiro. Destaque para a quinta posição de Brochier que brigou bastante com Czerkawsky, John e Hebert, mas este último teve que pagar um drive-Thru na última volta e perdeu várias posições.
No final Dani Gomes foi o vencedor, após a desclassificação por LOG de Jesus Neto.


Já a derradeira foi igualmente emocionante já no anoitecer italiano. Com a inversão Marco Parma e Cesar Bergesch dividiram a primeira fila. Parma largou bem, mas foi acertado pelo Brock na curva 1 e a outra Parma do Marcelo Vieira também se envolveu em confusão com John Martins. Com isso, Brock pulou pra ponta, trazendo Bergesch, Medeiros e Hebert. Mesmo com toda a confusão na primeira volta, o postulante Czerkawsky não aproveitou quase nada, pois seus problemas de máquina o fizeram largar dos boxes. Na volta seguinte Brock cometeu um erro e perdeu a ponta para Medeiros.


 Enquanto Medeiros começava a se distanciar, Bergesch cometeu um erro e atrasou um pouco mais o Brock e fez com que Medeiros ficasse mais tranquilo ainda na ponta da prova. Enquanto isso, Emerson Czerkawsky se aproveitando dos abandonos do Marco de Andrade e Jorge Dillerva e a batida de John Martins estava em décimo quinto na metade da bateria. O final da bateria foi marcado pelo embate forte pela décima posição com Paulo Rodrigues, Jesus Neto e Cesar Bergesch. Destaque para Granado que realizou ultrapassagens importantes fechando na terceira posição e quase ultrapassou Brock que fechou na segunda posição, já que Medeiros sumiu na frente e venceu a bateria. Mas como nem tudo são flores, Medeiros ao não enviar o LOG obrigatório como prevê o regulamento, foi desclassificado e com Brock herdou a vitória, com Granado em segundo e Werner em terceiro.


 Depois dessa epopeia, Brock é o campeão com 201 pontos, Czerkawsky o segundo com 193 pontos e John Martins foi o terceiro com 164 pontos marcados.



Pelas equipes, a CTE Racing HVM é a grande campeã com 260 pontos, seguida por HVM Racing Team e BSP Racing 2 com 238 e 177 pontos.


E pelos fabricantes, a Alfa Romeo leva o caneco com 310 pontos, seguido por VolksWagen com 263 e Opel com 220 pontos.


 A próxima temporada será em terras sul-americanas, porém só no início de 2019. Enquanto vamos ficando com aquela saudade, a VORC tem campeonatos e eventos especiais que prometem muita emoção nesse fim de 2018. Você - é claro, não pode perder essa! Acompanhe nosso site e a página do Facebook para ficar por dentro dos detalhes!

Vt da Etapa