MENU

Drop Down MenusCSS Drop Down MenuPure CSS Dropdown Menu

TCR Ásia Series estreia com show e 3 vencedores diferentes.



A principal categoria de carros dianteiros da VORC Series voltou com tudo, a TCR Ásiatica chegou, com ela a pista de Buriram na Tailândia fez sua estreia na liga, o traçado que já foi utilizado pelo WTCC, com um grid de 26 dos 29 pilotos inscritos.
As disputas intensas mostraram o total equilíbrio que a temporada terá.

QUALIFICAÇÃO:
John Martins (CTE Racing HVM) fez a primeira pole position da temporada com o tempo de 1:45,500, com Dani Gomes (Chrome Racing) fazendo o segundo tempo, Ernesto Brock da HVM Racing, estreando com o Audi RS3 LMS, fez o terceiro tempo e fechando a segunda fila com o atual campeão Leonardo Lopes da Black Wings RT.
Ainda completaram o top10: Alexandre Emanuel, Alexandre Oliveira, Cadu Maciel, Gilson Rodrigues, Anderson Medeiros e Felipe Granado.


BATERIA 1:
John Martins não teve o inicio que planejava, mas a perda da liderança foi compensada no final, Ernesto Brock assumiu a ponta da prova de cara da quinta em diante as posições iam sendo trocadas com as disputas, na volta 9 John Martin da o bote preciso, e ganha a liderança da prova, com Brock ficando para o segundo lugar.
Ao final de 11 voltas, John Martins dá a CTE Racing HVM a vitória da primeira bateria de Buriram, Brock passou em segundo e fechando o pódio com Alexandre Oliveira cravando um pódio totalmente das equipes do grupo HVM.


BATERIA 2:
Com Dani Gomes e Cesar Bergesch (CBR Team) saindo da primeira fila. A segundo bateria começou com tudo, Novamente Dani Gomes não conseguiu segurar a ponta e Jesus Neto (BSP Racing) assumiu a ponta de cara. Cadu Maciel por muito tempo andou em segundo, enquanto John Martins chegou a duelar com o português Paulo Tempera (Portugal Racing) pelo pódio. Na sexta volta John Martins conquista o segundo lugar, e deixa Cadu Maciel tendo de segurar o português Tempera que chegou a assumir o terceiro lugar, mas perdendo logo em seguida.
Ao final de mais 11 voltas Jesus Neto vence a segunda bateria do campeonato, com John Martins em segundo e Cadu Maciel ainda cruzando em terceiro lugar.
Destaques para a corrida de Cesar Bergesch que mostrava uma constância no campeonato e Givaldo Spindola que saiu de 26
º cruzou a linha de chegada em 8º.


BATERIA 3:
A primeira fila com a inversão ficou entre Dani Gomes largando pela terceira vez na primeira fila, e Givaldo Spindola saindo de segundo depois da boa corrida da bateria 2.
Givaldo Spindola logo na largada deu um mergulho para cima de Dani Gomes, concluindo a ultrapassagem pela parte de fora da pista, o que deu pano pra manda depois no resultado final.
Dani Gomes tentou se manter em segundo, mas perdeu a posição na volta 4, na sequencia Dani ainda perderia posições para Jesus Neto e Alexandre Oliveira.
Após 11 voltas, Givaldo Spindola foi o vencedor na pista, mas uma punição de 10 segundos em virtude da ultrapassagem da largada o fez cair para o quinto lugar, com isso Cadu Maciel pulou para o primeiro lugar da prova, com Jesus Neto fechando a dobradinha da BSP Racing, Alexandre Oliveira levou o segundo pódio da noite.
Ainda fecharam o top 10 da ultima bateria, Dani Gomes, Givaldi Spindola com a punição, Leonardo Lopes, Paulo Tempera, Felipe Granado, o novato da SUB Racing Alexandre Emanuel conquistando um top 10 e fechando Emerson Czerkawsky da HVM Racing.


PROTESTOS E PUNIÇÕES:
BATERIA 1:
D.Gomes > P.Tempera - +20s +N2 – Ultrapassagem empurrando lateralmente adversário
NAP/NAD > C.Santana – Notificação auto drive thru em virtude do acidente com Marco Parma na largada.

BATERIA 2:
D.Gomes > P.Tempera - +20s +N2 – Toque em disputa causando rodada/acidente.
L.Lopes > G.Rodrigues - +20s +N2 – Toque em disputa causando rodada/acidente.
O piloto Gilson Rodrigues abandonou a bateria, com isso perderá 10 posições no grid de Shanghai.

BATERIA 3:
D.Gomes > G.Spindola - +10s +N2 – Ultrapassagem irregular usando área de escape e não fazendo fair-play no momento.
D.Gomes > P.Tempera – Indeferido

CARTEIRA DE PILOTOS:


PONTUAÇÃO PILOTOS:


PONTUAÇÃO EQUIPES: 


PONTUAÇÃO PAÍSES:


PONTUAÇÃO MARCAS:


PRÓXIMA ETAPA:
Agora a categoria chega a China, para a corrida em Shanghai, onde a etapa promete muito em virtude das grandes retas e os trechos de lenta e até muito difíceis para esse tipo de carro.


VT DA ETAPA:


Leia Mais... ►

Codornas que dormem o Diego Said leva!!!


A Indycar Series retorna a VORC Series com um grid forte e de bom número, o primeiro desafio foi o circuito de Indianapolis em sua versão road course, em corrida dotada de estratégias diferentes e ousadas entre os pilotos, tiveram de superar a diferença entre os pneus Duros e Macios. No final com as amarelas e a estratégias diferentes, o final de prova foi super concorrido com direito a briga interna e tudo.

QUALIFICAÇÃO:
Diego Said começou bem a temporada, com sua Black Wings RT, fez o tempo de 1:12,353, com a BSP Racing de Pedro de Oliveira cravando o segundo tempo, Jesus Neto da BSP Racing 2 e Anderson Medeiros da BSP Racing 3 formaram a segunda fila.
Ainda completaram o top 10: Alexandre Oliveira, Nathan Marchon, Luiz Gustavo, Samuel Pontes, Cristiano Gomes e o Português Paulo Rodrigues.




CORRIDA:
A corrida contou com um inicio até que bom, apesar de alguns acidentes, a amarela demorou a aparecer com alguns pilotos largando com pneus pretos, entre eles Diego Said, que acabou errando na primeira curva e perdendo muitas posições, com isso Nathan Marchon (Black Wings FSW) liderou boa parte da prova. Quando Cristiano Gomes aproveitou a parada dele para assumir a liderança, mas durando pouco após um toque de Cristiano Gomes em Emerson Czerkawsky (HVM Racing) o fazer perder a asa dianteira, com isso o novo líder era Pedro de Oliveira.
A primeira amarela veio com o acidente de Cristiano Gomes na volta 19. Pedro não parou e continuou na ponta da prova.
Com a parada de Pedro na volta 33, Said assumiu a ponta da prova, mas com a amarela no final causada por Jesus Neto quem assumiu a ponta foi Luciano Rocha da #268 Racing que apareceu do nada, depois de uma corrida vindo de 16
º e subindo posições no grid.
Foi ai que começou a caça as codornas, como é conhecida atualmente o time da BSP Racing, Pedro de Oliveira tentava atacar Luciano Rocha que se defendia como podia, mas Anderson Medeiros e Pedro acabaram se tocando em uma dividida de curva e Pedro com o carro danificado, sofria para atacar Luciano, e era atacado por Medeiros, enquanto isso Diego Said vinha ultrapassando todo mundo.
A indecisão de Pedro e Anderson custaram caro e Said os passou, parafraseando com “camarão que dorme a onda leva”, Codorna que dorme o Said Leva, no finalzinho Said se aproveitou os pneus em melhores estado e passou por Luciano Rocha e ao final de 43 voltas venceu o GP de Indianapolis abertura da T3 2019 da Indycar Series,





 Pedro de Oliveira ainda conquistou um segundo lugar, e Luciano Rocha se defendeu dos ataques de Samuel Pontes e fechou no pódio. Ainda fecharam o top 10: Nathan Marchon, Cadu Maciel, que também saiu do fundo do grid e teve uma corrida de recuperação, Luiz Gustavo, Emerson Czerkawsky, Paulo Maeda e Paulo Rodrigues.




PROTESTOS E PUNIÇÕES
NAP > Marco de Andrade – Auto Drive Thru em virtude do toque em Cadu Maciel na primeira volta.
Direção > Anderson Medeiros - ESC sem permissão do diretor de provas. o piloto largará dos boxes na proxima etapa e em casa de reincidência no ato, estará automaticamente desclassificado do campeonato.


CARTEIRA DE PONTOS PUNITIVOS:



PONTUAÇÃO PILOTOS:



PONTUAÇÃO EQUIPES:



PRÓXIMA ETAPA:




VT DA ETAPA:


Leia Mais... ►

T3 2019 - Michigan US 500


Depois de 3 eventos fantásticos como a Daytona 500, Indianapolis 500, e a brasuca Rio 200, a VORC Series traz agora para vocês a US 500, que foi durante alguns anos a etapa rival da Indy 500 na época da cisão, e porque não recriarmos essa prova também que foi tão especial para a CART e até mesmo para Tony Kanaan, único piloto a vence as duas provas.
Os carros? os mesmos da Rio 200, os carros da CART com o mod SCART, a etapa contará com as 250 voltas da corrida, com premiação aos três primeiros colocados na etapa.A Corrida contará com 32 vagas.
Será disputado no simulador Automobilista, e terá um custo na inscrição de R$20,00 por piloto.
Não será aceito mais de 32 pilotos por causa do limite de pistas, com isso os 32 primeiros inscritos e pagantes ficam com a vaga.

A Qualificação ocorrerá no sábado dia 20/07 as 21h, enquanto a corrida será no domingo, será permitido que pilotos que não participem do Qualy por motivos particulares participem da corrida, porem terão suas posições sorteadas. Por isso o limite de 32 inscritos.
A US 500, integrante da grade de competições da VORC Series, no qual ocorrerão 1 etapa de acordo com as regras abaixo:

Inscrições:
Templates: 
Mod SCART Extreme
Carset:
Pista Michigan:
Sistema Anticheater: (obrigatório todos ter instalado)

Sistema de bandeira amarela: (obrigatório todos ter configurado)
Numeração:

O valor da inscrição deverá ser pago até dia 19/07, a liga informa para que os pilotos estejam cientes que o valor da inscrição é de R$20,00, e o valor é referente a participação no evento, não aceitará pagamentos posteriores a data de 19/07, para evitar problemas posteriores com mal entendidos.

Prazo para Skins: 18/07/2019, devem ser enviadas para vorcseries@gmail.com

Lista de Inscritos 0/32
HORARIOS
QualificaçãoSabado 20/07 21:00h

Corrida
Domingo 21/07 21:00h
Largada Teste –20:30h 
Briefing –20:40h
Fim de Briefing – 20:55h
Warm Up – 3 minutos
Corrida – ~21:00h *Baseado no horário de Brasília (GMT-3)

DURAÇÃO DO EVENTO
Qualifing – 5 minutos (Com limite de 2 voltas rápida no total) (Privado)
Warm Up – 3 minutos
Corrida – 250 Voltas
Vagas - 32 vagas.

CONFIGURAÇÔES DO SERVIDOR
Horário servidor: 14h
Bandeiras: Somente Preta (porém com SC manual)
Tipo de largada: Em movimento
Câmeras: Cockpit/TV do Cockpit
Setup fixo: Sim
Pack Obrigatório: Speedway
Parque Fechado: Não
Parada Obrigatória: Não
Danos Carro: 100%
Combustível: X1
Consumo pneus: x1  
Aceleração Tempo: 1x
Falhas mecânicas: Normal
ABS: Não 
TC: Não
Embreagem: Permitido
Emborrachamento: Pesado
Condição da Pista: Normal
Jogos de Pneus: Ilimitado (em virtude de um bug no mod)


DIREÇÃO DE PROVA E PENALIZAÇÕES APLICADAS AO PILOTO
Toda etapa da categoria será passível de análise e penalizações das infrações ocorridas. A Direção de Prova ocorrerá pós-corrida de acordo com as regras previstas nos itens de penalizações.
Salvo casos de força maior onde poderá ser colocado uma direção em caráter de emergência.

BANDEIRA AMARELA
A Bandeira amarela na VORC Series se ocorre por meio virtual, usando o safety car humano em virtude de muitas vezes o nativo do jogo gerar problemas ou situações erradas. Com isso usamos este sistema.
Os pilotos devem configurar um botão para chamar o diretor de provas e ter a permissão para abandonar a etapa.
Aqui tem um tutorial de como fazer:
https://drive.google.com/open?id=1xYaABxnXXVld5PLqiPNikFggSzLHNVUF

*O não cumprimento a esta regra inflige em uma punição ao piloto de ter de largar dos boxes, em caso de reincidência uma etapa de suspensão e em terceiro caso exclusão do campeonato e 1 ano de suspensão em competições da VORC Series.

ESCOLHAS DOS CARROS
Escolha livre no Ato de Inscrição

PILOTOS
Todo piloto, ao contratar o serviço, está de acordo com o regulamento e as regras vigentes, estando inclusive sujeito ás punições que por ventura vier a sofrer ao incorrer em alguma infração.

EQUIPES 
As equipes devem ser compostas por no mínimo 1 e no máximo 2 pilotos.  As equipes participantes poderão inscrever subequipes na mesma competição.
A equipes devem conter o mesmo modelo de carro. podendo a subequipe ter outro diferente.

PREMIAÇÃO
Serão oferecidos ao final da competição prevista, troféus comemorativos para o campeão. Vice e terceiro colocado. 

ENVIO DE LOG
Os 3 primeiros colocados tem a obrigação de enviar o log do DAP para o email até 23:59 do dia seguinte a etapa: emerson.csantos@yahoo.com.ar

Como instalar o DAP é aqui:
http://vorc.blogspot.com/2018/04/data-acquisition-plugin-nova-ferramenta.html

PUNIÇÕES
Tipos de infrações
Informal
 – 5 segundos
Cut Track (quando houver necessidade de analise manual)
*Em caso de estouro a cima de 60 segundo o piloto é desclassificado da etapa.
 
Leve – 10 segundos (1 pontos na carteira)
- Entrar ou sair dos boxes sem respeitar a linha demarcada
- Trocar de faixa de direção mais de uma vez ao defender a posição
- Realizar ultrapassagem irregular estando em disputa por posição
- Não respeitar a sinalização de Bandeira Azul
Chat durante sessão oficial (Classificação e Corrida)
- Uso de farol para reclamação
- Defesa de posição forçando situação perigosa.

*O Chat é oficialmente proibido para xingamentos, comemorações antes do encerramento da etapa. Esses casos são punidos.
É considerado o caso em situações de emergência como notificações a direção de prova, ainda sim, se recomenda que o piloto ao invés de usar o chat utilize o mesmo botão de chamar o diretor de provas para abandono

Média – 20 segundos (2 pontos na carteira)
- Permanecer em pista com o carro danificado causando risco aos oponentes
- Causar acidente estando ou não em disputa por posição
- Causar acidente em ultrapassagem sendo retardatário
- Causar acidente na ultrapassagem sobre retardatário
- Realizar ultrapassagem durante a presença do Safety-Car na pista
- Realizar pit-stop durante a presença do Safety-Car na pista (salvo quando autorizado)
- Causar acidente após o encerramento da corrida
- Batida por trás
- Empurrão lateral.

Pesada -  30 segundos (3 pontos na carteira)
- Desrespeitar qualquer procedimento geral não previsto anteriormente que foi acertado no Briefing oficial da etapa
- Condutas Antidesportivas (Penalização será definida pela direção de prova)
- Causar acidente ao manobrar ou retornar de forma imprudente a pista - Causar acidente removendo mais de uma adversário da pista
- Causar Acidente durante a presença de Safety-Car

- Em caso de um piloto não completar a prova e ser punido, o mesmo fica perde posições no grid de largada.
Leve – 5 posições
Media -10 posições
Pesada – 15 posições

*Em caso de punição duplicada, a perde de grid também é duplicada.

 Acúmulo de penalizações: CARTEIRA DE PONTOS
- O piloto tem uma carteira de pontos com cada tipo de punição valendo de 2, 4 ou 6 pontos conforma a gravidade dos lances

- 06 pontos alcançados o piloto fica sem qualifiyng na etapa seguinte
- 08 pontos alcançados o piloto largará dos boxes na etapa seguinte
- 10 pontos alcançados o piloto ficará suspenso por uma etapa (em caso de campeonato de baterias é 1 bateria)
- 12 pontos alcançados o piloto será excluído do campeonato.

Partir da T3 ao final da temporada a liga removerá apenas 50% dos pontos do piloto na carteira, com isso ele leva a T4 50% dos pontos que tiver na carteira para a outra temporada, quando o ano termina, as carteiras são zeradas*

A Carteira leva em consideração o campeonato disputado ou o subsequente substituto do campeonato na temporada seguinte, e não todos os campeonatos de uma vez.

Protestos
O piloto que quiser fazer um protesto pode fazer até 24h após o evento, preenchendo o seguinte formulário.
https://docs.google.com/forms/d/1WC308GR__1QVh25zdgP-M64XrW84x-s7qUG-NIwcWrg/edit

o piloto pode optar por usar o replay oficial ou o seu caso não possa esperar a liberação do oficial, porém fica o adendo que será considerado os dados do replay oficial para análise dos lances.
Leia Mais... ►

IMSA Series estréia T3 em Portland com corridaça!!!


A T3 da IMSA Series começou com o pé direito, a espera pelo temporada foi curta, mais a ansiedade foi bem contemplada, ao todo 32 inscritos no campeonato e 2 pilotos na fila de espera, já para a corrida 29 pilotos estiveram presentes sendo 7 DPi, 10 GTLM e 12 GTD no total. A pista curta de Portland fez da corrida um antro de grandes emoções e disputas no estreito traçado.

QUALIFICAÇÃO:
DPi
Na classe maior, Felipe Lima, estreando pela Black Wings fez a pole position com o tempo de 1:00,689, o estreante e companheiro de equipe Guido Seelig foi o segundo colocado, Ernesto Brock da HVM Racing Team e Ricardo Prediger da Team Schnell foram os seguintes, Vinicius Loyola (BMRS E-Sports) ainda fechou o TOP5.



GTLM
Bruno Fernandes (Fitness Racing Snow Schatten) que foi campeão da DPi e agora vem na GTLM, fez a pole position com o tempo de 1:04,354, seguido de John Martins, campeão da GTD que subiu, com sua CTE Racing HVM fez 1:05,458, ainda completaram o top 5: João Hebert (M Tech Sports), Jonatan Brochier (CR Motorsports) e Marco de Andrade (M Tech Sports).



GTD
Na GTD a pole ficou com Cadu Maciel (BSP Racing) com o tempo de 1:07,753, com seu companheiro Jesus Neto em segundo com o tempo de 1:07,794, Wendel George que foi campeão da GTLM, mas teve pontos na carteira o que fez ir a GTD, pela Herdez Competition foi o terceiro colocado, ainda teve no Top 5: Antonio Vieira (Tonyspeed) e Cristiano Gomes (Calango Racing) fechando os primeiros. Dos 12 carros na categoria.



CORRIDA:
Em duas horas de corrida, a prova prometia muito, por um traçado curto e em basicamente com pontos de ultrapassagem apenas nas retas, as negociações seriam de suma importância.
Os toque aconteciam, e num deles, Guido Seelig tentou ultrapassar Caio Possati (M Tech Academy) dando “farolzada” no piloto dar passagem em pleno esse rápido, o que acabou fazendo o novato tirar o pé, com isso Rogerio Reis (Hornet Racing) também tirando o pé, acabou sendo atingido por John Martins que vinha em ponto cego e não vou Possati lento na pista, isso mudaria o resultado final da GTLM depois...
Após quase uma hora de prova, que a primeira amarela foi acionada, quando Ernesto Brock foi colhido por Alisson Borges, piloto da 4EverBr que perdeu o controle do carro na ultima curva, e acabou fazendo o DPi #96 ir ao muro e batendo em uma quina e ficando sem uma das rodas.
Após a relargada a corrida teve o grid ligeiramente reordenado, com isso Lima e Seelig seguiam brigando pela vitória já com uma volta de vantagem encima do terceiro colocado. Na GTLM, Bruno Fernandes e John Martins seguiam na briga pela ponta, e na GTD Cadu Maciel liderava com certa tranquilidade.
Pouco depois foi a vez de Vinicius Loyola que estava tendo uma corrida cheia de incidentes, o piloto da BMRS perdeu o carro no “esse” rápida e com isso foi direto para a barreira de pneus causando a segunda amarela do dia.
A corrida foi seguindo em bom ritmo com todo mundo se passando, as classes GTLM e GTD sofriam com os DPi muitas vezes impacientes desesperados para passar, e foi numa dessas que a terceira amarela aconteceu, Felipe Lima, descumpriu um acordo verbal entre os pilotos no briefing e tentou ultrapassar Jesus Neto pela linha do GTD o que acabou ocasionando um toque entre eles e Jesus Neto levou a pior indo em direção ao muro e ficando de fora na prova, com isso não havia mais tempo hábil para fazer os procedimentos e com isso a corrida terminou em amarela.

DPi:
Com isso Guido Seelig apostou na sorte de aplicar uma volta em seu companheiro de equipe e mesmo com uma punição de 20 segundo por parar com box fechado devido a uma pane seca. ainda assim venceu o GP de Portland, com Felipe Lima em segundo fechando a primeira dobradinha da Black Wings na IMSA Series, Emerson Czerkawsky (HVM Racing Team) venceu o duelo com Ricardo Prediger da Team Schnell e foi o terceiro, Dani Gomes da Chrome Racing ainda finalizou a prova em quinto dos DPi que finalizaram.



GTLM:
John Martins foi o vencedor na pista, mas o acidente da volta 17 o fez perde a vitória, com isso Werner Marote deu a Team Schnell a vitória para o evento com 96 voltas completadas, Bruno Fernandes foi o segundo colocado e John Martins ainda finalizou a prova em terceiro lugar, ainda completaram a prova na classe: João Hebert, Luciano Rocha, Joantan Brochier , Marco de Andrade  e Alisson Bullet (Simel Racing).



GTD:
Tido como um dos favoritos ao título da temporada, Cadu Maciel, venceu a etapa, com 94 voltas completadas, o piloto da BSP liderou quase toda a prova, venceu, com uma volta de vantagem encima do novato Gustavo Feo, que levou a Team Tchacha ao segundo lugar ao final da prova, Cristiano Gomes, vindo da DPi foi o terceiro colocado, fechando o pódio com a Lamborghini da Calango Racing.
Ainda completaram a prova: Wendel George, Antonio Vieira, Michel Oliveira (Tornado e-Motorsports), Paulo Tchachalowski da Team Tchacha e Caio Possati fechando os que cruzaram a linha de chegada.



PROTESTOS E PUNIÇÕES:
R.Reis > M.de Andrade > Volta 3 – Indeferido - #11 que vira antes da hora dando uma portada no #50.
R.Reis > V.Loyola > Volta 11 - +20s +2pts - #02 acaba abalroando o #11 por trás.
R.Reis > J.Martins > Volta 17 - +20s +2pts - #90 acaba tocando no #11 após uma confusão causada por um DPi #61 Guido Seelig ao tentar ultrapassar o GTD #83 o mesmo tirou o pé causando um engarramento.
W.George > V.Loyola > Volta 8 - +20s +2pts - #02 causa acidente ao tocar o #07.
W.George > A.Borges > Volta 81 – Infederido – Qual a lógica do protesto do #07??? O carro #65 o atinge depois que ele #07 bateu no #07 e fica estagnado na pista...
E.Czerkawsky > P.Tchachalowski > Volta 52 - +20s +2pts – O piloto do #72 sai da tangencia do GTD e entra na frente do #56 que ia fazendo ultrapassagem pelo local correto, ocasionando toque entre os carros.
Direção > G.Seelig > Volta 97 - +20s +2pts - Entrada nos boxes, com o mesmo fechado.

Notificação de auto punição:
F.Lima > J.Neto – volta 93
F.Lima > P.Tempera – volta 14
F.Lima > P.Tempera – volta 53
E.Brock > C.Possati – volta 31

Advertências
Guido Seelig – Não utilizar os faróis pedindo passagem encima dos GTLM e GTD, por causa de uma situação dessas o mesmo causou um acidente ao fazer um GTD dar passagem em ponto de rápido no esse de alta. Fica o pedido de atenção com relação aos faróis serem utilizados no momento certo.

CARTEIRA DE PILOTOS:



PONTUAÇÃO PILOTOS:
DPI:



GTLM:



GTD:




PONTUAÇÃO EQUIPES:
DPI:



GTLM:



GTD:



PRÓXIMA ETAPA:

Agora a categoria chega ao circuito de rua de Miami Bayfront Park, um traçado de rua super complicado, com ondulações e estreito onde os pilotos terão um duro trabalho, ainda mais nas negociações por ultrapassagens.



VT DA ETAPA:



Leia Mais... ►

Bruno Fernandes vence segunda corrida na TC Classics e entra na briga pelo titulo.


Chegando a Goiânia para a terceira etapa do campeonato da TC Classics Endurance Series, os 14 pilotos presentes para a etapa vieram forte para o tradicional circuito do Centro-Oeste brasileiro. A briga pelo campeonato seguia em aberto com Bruno Fernandes chegando com tudo, enquanto Cadu Maciel tentava manter a liderança do campeonato.

QUALIFICAÇÃO:
Cadu Maciel segue sendo o pole man da temporada, colocando a sua BSP Racing 2, na ponta com o tempo de 1:47,829, Bruno Fernandes da Fitness Racing Snow Schatten foi o segundo colocado com o bom tempo de 1:47,941.
Ernesto Brock (HVM Racing Team) e Luciano Rocha (#268 Racing) fecharam a segunda fila, ainda completaram o Top 10: Edilson Freshi, Michel Oliveira, Anderson Medeiros, Paulo Rodrigues, Rodrigo Yoshihara e Jonatan Brochier.



CORRIDA:
Cadu Maciel bem que tentou, mas Bruno Fernandes já na segunda volta pulou para a ponta da prova, deixando o piloto da BSP Racing 2 brigando pelo segundo lugar com Ernesto Brock.
A corrida que acabou não contando com bandeiras amarelas, fez da estratégias de tanques entre Uno e Gol, fazendo uma total incógnita durante a corrida.
O Português Paulo Tempera (Portugal Racing) que largou de 12
º vinha em grande corrida de ultrapassagens e chegou a andar no segundo lugar, mas um problema fez o piloto ter uma queda e abandonar a prova.
John Martins (CTE Racing HVM) que pagou uma autopunição após um acidente com Michel Oliveira (Tornado e-Motorsports) vinha em corrida de recuperação.
Emerson Czerkawsky (HVM Racing Team) vinha tendo problemas de cansaço e chegou ao ponto de ter de parar o carro para descansar e voltar a 5 voltas atrás.
Ao final de 67 voltas, Bruno Fernandes vence a etapa de Goiânia, com Cadu Maciel em segundo, na briga pelo terceiro lugar, Luciano Rocha acaba tendo uma pane seca bem no final, e com isso Ernesto Brock conquista o terceiro lugar nos metros finais da prova, Luciano ainda fechou em quarto, John Martins ainda se recuperou a um quinto lugar, com Edilson Freshi fazendo uma etapa heroica após seu volante quebrar antes da corrida, e o mesmo fazer a prova inteira com o volante quebrado e quase sem nada de force feed back, Michel Oliveira foi o sétimo, com Paulo Rodrigues em nono e Emerson Czerkawsky fechou em último e nono lugar.



CAMPEONATO DE PILOTOS:



CAMPEONATO DE EQUIPES:



PRÓXIMA ETAPA:

A próxima etapa será o Grande Prêmio Carlinhos de Andrade em Tarumã, uma justa homenagem ao grande ídolo gaúcho.
A corrida também contará com duas horas e terá largada as 18h, para finalizar as 20h.

VT DA ETAPA



Leia Mais... ►

Leonardo Lopes vence primeira edição da Rio 200.



A VORC Series trouxe uma grande novidade entre os seus eventos, foi a vez da Rio 200 com o mod da SCART, no lendário circuito de Jacarepagua em sua versão chamada de Emerson Fittipaldi Speedway, a corrida contou as 200 milhas tradicionais e um bom grid de 24 pilotos largaram para a etapa, que teve um final daquele dos bons.

QUALIFICAÇÃO:
Leonardo Lopes (Black Wings RT) fez a pole position com 40,094, enquanto João Hebert fez 40,258 com a sua M Tech Sports. Givaldo Spindola (Black Wings RT) e Danilo Sousa da Fitness Racing Snow Schatten fizeram a segunda fila da prova.
Ainda completaram o TOP 10: Diego Said, Nathan Marchon, Claudio Bandeira, Marco de Andrade, Cirênio Ramos e Regis Brites.


CORRIDA:
João Hebert deu um pulo do gato na largada e pulou para a ponta, na sequência Givaldo Spindola acabou rodando sozinho, batendo no lado interno da pista e voltando para o traçado, sendo acertado por Claudio Bandeira (J-MANBR Racing), Cirênio Ramos (Bravos Motorsports) também acertado por Thiago Luiz e outros carros que foram se enroscando no big one da largada, ao todo só ali já houve o abandono de Givaldo, Cirênio e Claudio Bandeira.

A corrida foi seguindo e com isso tendo ritmos e estratégias diferentes.
Na volta 36 uma nova amarela, Lino Palladino (Speed Racers Motorsport) é atingido por Cadu Maciel (BSP Racing) fazendo o carro do piloto ficar parado na pista com o motor desligado, e na sequencia sendo atingido por João Hebert, ambos abandonaram a etapa.
Outro piloto que vinha sofrendo muito com a etapa foi Paulo Tchachalowski (Team Tchacha) que rodou varias vezes durante a corrida.
Ao final da volta 71, mais uma amarela, Fabiano Tomaz (Team Tchacha) bateu forte na ultima curva, e no mesmo momento o português Paulo Rodrigues (Time XtraBe) também sofria um acidente.
Ao final de 108 voltas e pouco mais de 1 hora e 38 de corrida, Leonardo Lopes vence a primeira versão da Rio 200, em um duelo eletrizante com seu companheiro de equipe Diego Said que terminou lado a lado com Leo, em uma diferença de apenas 0,025s.
Danilo Sousa estreante em ovais no Automobilista conseguiu o terceiro lugar na prova.
Ainda completaram o Top 10, Rafael Gonçalves e Cristiano Vieira onde ambos saíram do final do grid e fizeram uma corrida de recuperação e se esquivando dos problemas, John Martins que finalmente estreou em ovais, Luciano Rocha, Andre de Carli, Emerson Czerkawsky e Thiago Luiz, ainda fechou Paulo Rodrigues que mesmo com os problemas levou o carro até o final
Ao todo dos 24 carros que largaram, 11 carros finalizaram a etapa carioca.



PROTESTOS E PUNIÇÕES:
J.Hebert > L.Palladino – Indeferido, O piloto do #29 não parou na pista porque quis, mas sim porque seu motor apagou ao receber o toque do #3.

Direção > J.Hebert – O piloto passa a estar sob observação dentro da liga, pela atitude de enviar uma reclamação no feedback do protestos não referente ao proposto do item, mesmo com a liga solicitando em briefing e via escrita no próprio formulário de protesto, outra atitude que abone algo do tipo, poderá acarretar em suspensão do mesmo da liga.

VT DA ETAPA:


Leia Mais... ►

Bruno Fernandes vence segunda etapa da TC Classics em Londrina.


O campeonato anual da VORC Series, o TC Classics Endurance Series, fez sua segunda etapa no autódromo virtual de Londrina, a etapa pós feriado contou com 12 carros divididos em 7 Gols, 2 Passats e 5 Unos. A dificuldade da pista por ser muito técnica com certeza traria grandes disputas.

QUALIFICAÇÃO:
Cadu Maciel agora correndo pela BSP Racing 2, fez a pole com o tempo de 1:36,921, seguido de Bruno Fernandes (Fitness Racing Snow Schatten), a segunda fila foi dividida entre Luciano Rocha (#268 Racing) e Ernesto Brock (HVM Racing Team), ainda completaram o TOP10: Michel Oliveira, Anderson Medeiros, John Martins, Rodrigo Yoshihara, Jonatan Brochier e Paulo Rodrigues.



CORRIDA:
Cadu Maciel largou bem, mas liderou apenas as duas primeiras voltas, depois disso o ritmo de Bruno Fernandes e sua estratégia de economia o fez ter um pit a menos, um dos trunfos que o Fiat Uno tem em seu portfólio.
Cadu então voltou-se a uma disputa com John Martins que vinha de trás esperando ameaçar o piloto da BSP.
A corrida não contou com nenhuma amarela, com isso a corrida que havia começado com grandes pegas no meio do pelotão, como a disputa entre Luciano Rocha, Michel Oliveira (Tornado e-Motorsports) e Emerson Czerkawsky (HVM Racing Team) chegaram a fazer um 3wide em sua disputa pelo quinto lugar da prova naquele momento.
Abandonos foram acontecendo, como os de Brochier, Yoshihara, Luciano Rocha, Brock, Anderson Medeiros e Paulo Rodrigues.
Ao final de 75 voltas Bruno Fernandes foi o vencedor da segunda etapa do campeonato, com Cadu Maciel passando em segundo, John Martins (CTE Racing HVM) fechou em terceiro lugar na corrida, ainda completaram a prova,, Dani Gomes, Michel Oliveira e Emerson Czerkawsky.



PONTUAÇÃO PILOTOS:



PONTUAÇÃO EQUIPES:


PRÓXIMA ETAPA:




VT DA ETAPA:


Leia Mais... ►