MENU

Drop Down MenusCSS Drop Down MenuPure CSS Dropdown Menu

Matheussi vence, mas Prediger e John Martins fazem duelo épico pelo titulo.



A Insane Festival chegou a ultima etapa, com dois pilotos empatados na luta pelo titulo, enquanto outros corriam por fora. Ricardo Prediger e John Martins estavam empatados com 36 pontos e tinha neste meio outros pilotos brigando por vitórias.

QUALIFICAÇÃO:
Fabricio Matheussi esperando um milagre na briga pelo titulo, começou fazendo a sua parte, ao cravar a pole com 1:38,020, Ricardo Prediger levando a melhor sobre John Martins com 1:38,616. Enquanto John fez 1:38,987.
O Grid contou com 18 carros nesta etapa final.


CORRIDA:
Com uma largada tranquila, a largada em fila dupla foi acima da média sem nenhum incidente.
Ricardo Prediger que lutava para fugir de John Martins partia para o ataque encima de Matheussi que vinha defendendo bem, e trabalhando bem sua defesa, fazendo com que Prediger também não pudesse arriscar muito.
Restando 52 minutos Prediger acaba comentando um erro sozinho, e roda, perdendo a posição para seu rival no titulo John Martins.
Outra briga que houve, foi entre Ernesto Brock e Anderson Medeiros.
Na segunda posição, Prediger tenta atacar Martins, que se defende por dentro e se mantem a frente,
Restando 44 minutos, seguiam na luta, Matheussi longe disso, liderava com 7 segundos de vantagem para os demais.
Até que Prediger enfim reconquista o segundo lugar, com uma bela ultrapassagem por fora no esse do Senna.
E restando 27 minutos Prediger roda sozinho novamente e acaba mais uma vez perdendo posição para John Martins, fazendo a briga do titulo ficar ainda mais difícil para ele.
Com a parada de Fabricio Matheussi e Ricardo Prediger, John Martins assumiu a ponta da prova.
Após as paradas, Matheussi volta a ponta, com John Martins em segundo e Prediger em terceiro, o que vinha dando o título a John até então.
E restando 9 minutos Prediger conseguiu a sua terceira rodada, mais uma vez se afastando de John Martins.
Mas ai faltando 6 minutos foi a vez de John Martins cometer um erro no esse do Senna e ficar para os ataques de Prediger, mas na sequencia outro erro, e com isso Prediger faz o impensável e reassume o segundo lugar.
Na ultima volta John ainda tentava a ultrapassagem encima de Prediger mas a vantagem que o gaúcho de Camaquã colocou foi o suficiente para se garantir.
E depois de 60 minutos de corrida e 37 voltas, Fabricio Matheussi vence a etapa de Interlagos se tornando o terceiro vencedor em 3 etapas, Ricardo Prediger garante o titulo com o segundo lugar, e John Martins em terceiro, ficando com o vice campeonato.


PROTESTOS E PUNIÇÕES
W.Marote > D.Said – Indeferido, não consta a volta do incidente e olhando o tempo indicado não há nenhum indicidente.

CAMPEONATO DE PILOTOS:
Ricardo Prediger conquista o titulo da Insane Series com 56 pontos, com John Martins sendo o vice com 52 pontos, e Fabricio Matheussi se recuperando no campeonato e fechando ainda em terceiro lugar com 45 pontos.


CAMPEONATO DE EQUIPES:
A Team Schnell conquista seu primeiro titulo na VORC Series com 56 pontos, a HVM Racing Team fechou com o vice campeonato fazendo 52 pontos, e a 4EverBr terminando o campeonato com 45 pontos.


NATIONS CUP:
O Brasil se sagrou campeão com 75 pontos, contra 20 de Portugal e o Peru fechando em terceiro com 18 tentos marcados.


VT DA ETAPA
Confira aqui o vt da grande final em Interlagos.



Leia Mais... ►

Felipe Lima domina etapa de Gotemburgo pela Formula E


A VORC Series estreou um novo dia em sua grade de competições, agora com a terça-feira, e a Formula E chegou com os novos Gen 2 para o campeonato. Foram 19 carros nas ruas de Gotemburgo na Suécia onde a categoria fez sua estréia nesta T1.

QUALIFICAÇÃO:
Felipe Lima foi o grande destaque com sua MS-2, fazendo o tempo de 41,575 na pole position, Sidney Santos foi o segundo com 41,978, o peruano Renzo Sanchez cravou o terceiro lugar, com Cristiano Gomes no quarto posto, completaram o TOP 10, Cyro Santana, Tito Tomey, Emerson Czerkawsky, Vinicius Gonçalves, Leonardo Ferreira e Thiago Rodrigues.




CORRIDA:
Já na volta de apresentação as bizarrices começaram, Thiago Rodrigues conseguiu a façanha de bater o carro, com isso Alexandre Oliveira também tocou outro carro que ficou lento por causa de Thiago.
Felipe Lima larga bem, consegue fazer bem a curva 1 e foge da confusão, Renzo Sanchez foi um que até parecia ter queimado a largada de tão bem que saiu, mas foi cautelo-so e se manteve em terceiro,  Cyro Santana se toca com Sidney Santos e o piloto da 4EverBr perde a asa dianteira de seu carro, Achylles Junior vem feito um pombo sem asa e acerta os carros de Cristiano Gomes e Leonardo Ferreira.
A etapa parecia ser um show de horrores por parte dos pilotos da MTech, Achylles Junior conseguiu bater na entrada dos boxes e fechar a entrada, travando Alexandre Oliveira, Rodrigo Yoshihara e Thiago Rodrigues na entrada dos boxes.
Felipe Lima relargou bem, mas foi necessário uma amarela técnica por causa de um problema técnico, mas logo voltando para a relargada para a sequência.
Thiago Rodrigues bate forte e causa a terceira amarela da etapa.
Vinicius Golçalves erra e acaba perdendo o quarto lugar para Emerson Czerkawsky e na sequencia teve de duela com Cristiano Gomes.
Restando 27 minutos mais uma amarela, gerada por Alexandre Oliveira que ao tentar passar por Rogerio Reis rodou e se enroscou com Jesus Neto.
Restando 20 minutos Tito Tomey acabou relando no muro e rodando ficando ao contrario na pista e causando a quinta amarela da noite.
Faltando 10 minutos em nova amarela, Lima era o líder, com Sanchez, Czerkawsky, Gomes e Santana formando o TOP 5.
Na relargada Cyro Santana ao melhor estilo Michael Phelps mergulha jogando a corrida de Emerson Czerkawsky ao lixo por uma manobra do piloto da 4EverBr totalmente equivocada. Tendo o piloto ainda prejudicado Vinicius Gonçalves por causa do carro engatado.
A briga pelo quarto lugar vinha boa a 3 minutos do fim, Tito Tomey vinha se defendendo dos ataques de Paulo Rodrigues, com o português levando a melhor sobre o peruano da OWL Racing.
Tito Tomey que vinha em quinto, bate e perde a roda do carro, fim de prova.
No final da prova o peruano Renzo Sanchez começa a perder rendimento e acaba caindo ao quarto lugar na prova.
Ao final de 45 minutos, Felipe Lima que não vou ninguém na sua frente e depois de 6 bandeiras amarelas, vence a primeira etapa da Formula E Gen 2, com Cristiano Gomes fechando no segundo lugar e Paulo Rodrigues conquistando o seu primeiro pódio na VORC Series em terceiro.




PROTESTOS E PUNIÇÕES:
Protestos:
E.Czerkawsky > S.Santos - +10s, +1pt carteira, não respeitar a sinalização de bandeira azul.
E.Czerkawsky > C.Santana - +20s, +2 pts na carteira, causar acidente
J.Neto > S.Santos - +30s, +3 pts na carteira, Desrespeitar procedimento geral previsto no Briefing (Fechou saoda dos boxes em bandeira amarela)
Direção > S.Santos - +10s, +1 pt na carteira, corte da linha de saída dos boxes.
Direção > R.Sanches - +10s, 0pt na carteira, Analise de corte da curva 1.
Direção > V.Gonçalves - +30s, 0pt na carteira, Analise de corte da curva 1.
Direção > P.Rodrigues - +5s, 0pt na carteira, Analise de corte da curva 1.
Direção > C.Santana - +20s, 0pt na carteira, Analise de corte da curva 1.





CAMPEONATO DE PILOTOS:
Felipe Lima inicia o campeonato com a liderança, com 25 pontos, Cristiano Gomes fez 20 pontos, e Paulo Rodrigues começa o campeonato em terceiro com 16 pontos.




CAMPEONATO DE EQUIPES:
Com a vitória de Lima, a MS-2 Motorsports começa a temporada com 25 pontos, tendo a Calango Racing 20 pontos, e a Time XtraBe iniciando com 16 pontos.




VT DA ETAPA:
Confira na integra o vt da transmissão da XtremeTV




PROXIMA ETAPA:
Na segunda etapa, uma etapa nostálgica na categoria, Phoenix será o palco da etapa, no circuito de rua onde a F1 correu entre 89 e 91, circuito de grandes disputas e corridas, com isso a única etapa sem ser em solo europeu da Formula E da VORC Series será esta.




Leia Mais... ►

Frigotto e Czerkawsky vencem baterias em Circuit de Pau.


Em seu retorno ao traçado de rua de Pau, a Clio Cup France, os 24 carros que estavam presentes tiveram o difícil desafio de se manter na pista antes de tudo e escapar dos muros e calcadas do traçado.

QUALIFICAÇÃO:
Gustavo Frigotto tentando se recuperar no campeonato após o DQ de Dijon, inclusive queimando a língua do comentarista Rodrigo Vicente, cravou a pole position com 1:24.084, contra 1:24,369 de Leonardo Lopes o Canedas, John Martins e Jesus Neto fecharam a segunda fila, com Emerson Czerkawsky em quinto e Dani Gomes com o sexto posto.



BATERIA 1:
A largada foi bem tumultuada quando na curva da ponte, vários pilotos bateram e se enroscaram, chegando a fechar a pista, com vários deles tendo de ir aos boxes para reparos.
Frigotto se mantendo na ponta, mas sempre seguido de Lopes, Emerson Czerkawsky vinha brigando com Jesus Neto pelo quarto lugar quando do nada Emerson Barina com o carro avariado acabou atrapalhando o piloto da HVM ao dar passagens ao demais menos para o polonês maluco.
John Martins que vinha na terceira posição foi um dos que bateram.
No final da prova, Leonardo Lopes tentou o ataque para cima de Frigotto mas o paranaense se defendeu bem, mesmo com os erros e garantiu a vitória após 25 minutos e 18 voltas concluídas, Leonardo Lopes fechou em segundo e Jesus Neto completando o pódio.



BATERIA 2:
Com a inversão dos 10 primeiros, uma primeira fila gringa, Fernando Esquitino na ponta, Jorge Dillerva em segundo, Pedro Santos saindo e Dani Gomes fechando em quarto. A bateria contou com 22 carros.
A largada foi bem melhor que a primeira, Dillerva assumiu a ponta de cara antes mesmo da curva 1, Pedro Santos em segundo.
Os dois trechos mais complicados da pista, tudo mundo passou ileso com muita calma.
Dani Gomes passou por Esquitino e assumiu a terceira colocação antes do encerramento da volta 1.
Fernando Esquino em quinto segundo Emerson Czerkawsky e todo um pelotão atrás dele, mas na sequencia bate sozinho e acaba ficando para trás com Emerson Czerkawsky com isso pulando para o quinto lugar.
Na quarta volta Anderson Medeiros bate sozinho na curva da chicane e acaba abandonando a fora e perdendo o quarto lugar.
Enquanto isso lá na ponta Jorge Dillerva vinha segurando Pedro Santos e Dani Gomes na terceira colocação, mas Dillerva tinha muito trabalho segurando Pedro Santos.
Pedro Santos acaba errando feio, toca em Dillerva, tenta ainda sim ultrapassar quando pega a calçada e seu carro acaba levantando e capotando, Dani Gomes consegue passar no meio da confusão, Czerkawsky ainda não teve tempo de desviar de Dillerva e tocou o piloto peruano, que saiu andando mas batendo no guard rail danificando seu carro.
Com isso Dani Gomes era o líder, com Czerkawsky em segundo e Ernesto Brock com o terceiro posto.
Restando 14 minutos, Czerkawsky parte para o ataque em busca da primeira posição, mas Daniel consegue se segurar.
Aparecendo pouco, mas andando bem, Paulo Tempera vinha subindo no grid e já vinha num ótimo quinto lugar.
Emerson Czerkawsky aproveita na saída da chicane, pegando o vácuo de Dani Gomes e conquista a ponta da prova.
Dani não consegue segurar e com isso perde a segunda posição para Ernesto Brock.
Leonardo Lopes foi mais um a passar por Dani Gomes e buscou o terceio lugar, na sequencia, Paulo Tempera passa Dani Gomes por fora na curva da ponte.
Na sequencia, Dani Gomes bateu no muro, e acabou fechando a pista e foi fim de prova.
Restando 5 minutos a sequencia era, Czerkawsky, Brock, Lopes, Tempera, Neto, Frigotto, Martins, Guardia, Oliveira e Santos.
Ernesto Brock tentando conquistar a vitória parte para cima de Czerkawsky.
Brock até aparelha lado a lado, mas com um retardatário do lado esquerdo, teve de recuar, e depois de nova tentativa teve de se preocupar com os ataques de Lopes.
Ao final, Emerson Czerkawsky vence a bateria 2, com Ernesto Brock em segundo e Leonardo Lopes na terceira colocação da prova.



PROTESTOS E PUNIÇÕES:
Não houve protestos nesta etapa.

CLASSIFICAÇÃO PILOTOS:
Leonardo Lopes segue líder do campeonato com 69 pontos, Emerson Czerkawsky pulou ao segundo lugar agora com 62 pontos conquistados, Ernesto Brock ainda tentando defender o titulo, aparece com 60 pontos.



CLASSIFICAÇÃO EQUIPES:
A HVM Racing Team assumiu a ponta do campeonato, com 74 pontos, a Black Wings segue lutando agora com 70 pontos, e a BSP Racing fechando com 65 pontos.



NATIONS CUP:
O Brasil é líder com 100 pontos, a Argentina vem sem segundo com 33 pontos, Portugal com 29 tentos, Peru 18 pontos, e o Paraguai com 4 pontos.



VT da ETAPA:
Confira aqui na integra o Vt



PROXIMA ETAPA:
A próxima etapa e grande final será em Magny Cours um dos circuitos que a F1 já utilizou, será palco desta final.




Leia Mais... ►

Diego Said festeja na noite de Milwalkee e se aproxima de titulo da Champ Car.


Em mais uma etapa, agora chegando ao oval americano, em uma corrida começando no fim de tarde e tendo a parte noturna, a primeira do tipo na VORC Series, com 27 carros em um traçado complicado e um carro ruim de vácuo, os pilotos tiveram de lidar com tudo isso.

QUALIFICAÇÃO:
Rodrigo Vicente surpreende e crava a pole position com o tempo de 19.633, enquanto Diego Said fez o segundo tempo com 19.733, fecharam a segunda fila, Tonga Guardia e Ricardo Prediger, completaram os 10 primeiros, Nathan Marchon, Luciano Rocha, Wendel George, Jesus Neto, Rafael Gonçalves e Luiz Gustavo.


CORRIDA:
A corrida começou de forma diferente com duas voltas de apresentação para que os pilotos tivessem maior tempo para se adaptar a largada em fila dupla.
Na largada Said dá um bom salto e pula para o primeiro lugar, os carros cada um tentando encontrar seu espaço e fugindo da turbulência do vácuo.
Tonga Guardia e Rodrigo Vicente duelando pela segunda posição, mas acontece a primeira amarela, após acidente de Tarso Marques.
Nesse momento já inicia-se a guerra das estratégias com alguns pilotos indo aos boxes mudando as estratégias.
Os lideres começaram a pegar trafego e com isso, a dificuldade aumento ainda mais devido a turbulência.
Tonga Guardia parte para o ataque encima de Diego Said, tentando conquistar a ponta, mas não consegue e ainda perde a posição para Rodrigo Vicente.
Vicente consegue assumir a ponta ao ultrapassar Said.
Hugo Ramalho se atrapalha ao entrar no boxes, e fica rodado ao contrario, causando nova bandeira amarela, quando alguns carros começaram a ir aos boxes, e nisso pegou muita gente de “calça curta” fazendo os pilotos terem suas estratégias prejudicadas.
Luciano Rocha da #268 Racing assumia a ponta da corrida, seguido de Rodrigo Vicente, Alexandre Oliveira e Emerson Czerkawsky.
Assim pilotos que ainda não tinham ido aos boxes, foram para seus pits stops, com isso muita gente se deu bem ganhando volta encima de quem parou em bandeira Verde.
Vicente relarga na liderança quando restavam 40 minutos de corrida e já eram completadas 50 voltas de corrida. Mas a relargada é adiada após um acidente em amarela, Jesus Neto e Raphael Arqueti apareceram rodados, ambos rodaram sozinhos e tiveram problemas.
Vicente relarga na frente, com Tonga Guardia em segundo e Ricardo Prediger em terceiro, partindo pro ataque encima de Tonga e conquistando o segundo lugar.
Logo na sequencia Tonga Guardia reassume a posição, mas uma nova bandeira amarela com Emerson Czerkawsky que ainda levou Wendel George e Raphael Arqueti junto no incidente.
Wendel George acaba causando nova amarela na relargada ao não perceber que seu carro estava sem a asa traseira e acabou rodando na pista.
Faltando 24 minutos a relargada foi dada, e já tínhamos 69 voltas completadas na corrida.
Vicente seguia líder, com Tonga Guardia ainda andando em segundo, com Ricardo Prediger em terceiro.
Restando 23 minutos uma nova amarela, Silvio Cividini rodou sozinho e causou mais uma amarela na corrida.
Os boxes ficaram agitados, com Rodrigo Vicente indo aos boxes, entre outros pilotos, com isso Tonga Guardia assumiu a ponta da prova.
Tonga relarga na frente, com Ricardo prediger ainda no seu encalço!
Nova bandeira amarela, Jesus Neto roda sozinho e acaba ficando ao contrario na pista.
Na relargada uma confusão, Tonga Guardia se confunde e entra nos boxes no momento da relargada, o que acaba gerando uma confusão, onde foi necessário dar uma nova amarela.
Com isso o argentino acabou estragando sua estratégia, a liderança era de Ricardo Prediger, com Diego Said em segundo e Lino Palladino que vinha em corrida ao melhor estilo Highlander em terceiro lugar.
Restando 7 minutos para a largada e 95 voltas completadas, Prediger relargada na ponta da corrida, seguido por Said que vinha com sangue nos olhos em busca dessa vitória, Lino Palladino era ultrapassado por Rodrigo Vicente que pulou para o terceiro lugar na corrida.
E perto do final mais uma amarela, Luciano Rocha causa nova rodada, restando 5 minutos para o final.
Na relargada Diego Said ataca Prediger em busca da Vitória, o piloto da Schnell vai tentando defender como podia, até que Said coloca seu carro por fora e chegando na Curva 1, Prediger roda e finaliza a prova em amarela, o deslize de Prediger custa caro, e Diego Said vence o GP de Milwalkee, com Rodrigo Vicente em segundo e Lino Palladino que remou para chegar em terceiro, mas como dizia a história de Joseph Climber, a vida, a vida é uma caixinha de surpresas e o piloto acabou tendo problemas com o LOG e sendo desclassificado da etapa, com isso Bruno Miranda conquistou o terceiro lugar na classificação final.


PROTESTOS E PUNIÇÕES:
Direção > Tongua Guardia +1 pts na carteira, (Não prestou atenção ao procedimento de amarela e acabou causando uma confusão na relargada)


CARTEIRA:


CAMPEONATO DE PILOTOS:
Diego Said com duas vitórias vai a 50 pontos, colocando 18 pontos de vantagem em Bruno Miranda que é o vice líder do campeonato que tem 32 pontos, Rodrigo Vicente é o terceiro colocado no momento com 28 pontos.


CAMPEONATO DE EQUIPES:
Black Wings RT continua líder do campeonato com 50 pontos, a BMRS E-Sports vem em segundo lugar com 32 e a Team Pink Power com 28.


NATIONS CUP:
O Brasil é líder com 50 pontos, Portugal em segundo com 14 e Argentina tem 7 pontos.


VT DA ETAPA:
Confira aqui o vt da etapa de Milwalkee




PRÓXIMA ETAPA:
A Próxima etapa do campeonato será no Canadá, onde os carros partem para Montreal onde o circuito tem tudo para proporcionar uma grande corrida.



Leia Mais... ►

Surpresas de Green Hell



Sempre com expectativas de surpresas, 22 pilotos chegaram para a etapa alemã, com o grid lotado, a tendência era de uma corrida acidentada e que quem errasse menos se daria bem, dito e feito, mas as surpresas foram dolorosas a alguns pilotos.

CLASSIFICAÇÃO:
Fabricio Matheussi foi o melhor piloto do qualy, ao fazer 9:01,633, Lino Palladino apareceu como a grande surpresa ao cravar o segundo tempo com 8 segundos atrás de Matheussi, Lino fez 9:09,773. A segunda fila ficou com Diego Said e Thallisson Santos, ainda fecharam o TOP10, Bento Rosato, Luciano Rocha, Jonatan Brochier, Paulo Rodrigues, Renzo Sanchez e Ricardo Prediger, já o líder do campeonato Pedro de Oliveira não cravou tempo e teve de largar de 18º.


CORRIDA:
Com a largada sendo dada na entrada do Green Hell, a primeira volta foi relativamente complicada, alguns pilotos cometendo erros antes mesmo de fechar a primeira volta, já tínhamos abandonos de Tarso Marques, Cristiano Gomes, Pedro de Oliveira dando adeus a liderança do campeonato, Emerson Czerkawsky e Dani Gomes.
Matheussi abria na ponta da prova, com Lino Palladino e Diego Said disputando a segunda posição.
Logo na sequencia Diego Said perde o carro na freada da chicane após a Tiergarten e na tentativa de voltar, acabou perdendo a asa traseira, tendo de ir aos boxes, e perdendo o segundo lugar, e caindo bastante na classificação.
Os acidentes e abandonos iam acontecendo, Fernando Esquitino, Werner Marote e Samuel Pontes foram novas vitimas das voltas seguintes.
No meio da prova uma surpresa, Fabricio Matheussi que liderava a etapa com folga, acaba pegando a grama em um dos momentos, e acaba batendo forte e perdendo uma das rodas, o piloto da 4EverBr acabou se arrastando até os boxes mas não conseguiu repor a roda e ai teve de abandonar.
Com isso Lino Palladino vivia o sonho de vencer sua primeira corrida na VORC Series, mas ao melhor estilo Joseph Climber, a vida, foi uma caixinha de surpresas e após abrir a ultima volta da corrida, Lino tem uma desconexão caindo do servidor e dando adeus ao que seria seu primeiro pódio e vitória na liga, com isso Ricardo Prediger da Team Schnell assumiu a liderança da prova, ainda tendo tempo para dar uma rodada, mas voltar na ponta, e após 8 voltas e 1h e 16 minutos de corrida, Ricardo Prediger venceu a etapa alemã, seguido de Thallisson Santos, e Anderson Medeiros, este que por sua vez, acabou sendo desclassificado após a corrida, por não envio de LOG, com isso John Martins subiu para terceiro e com isso melhorou sua situação na briga pelo titulo.

PROTESTOS E PUNIÇÕES:
Não houve protestos pós corrida.

DQ – Anderson Medeiros – Não envio de LOG obrigatório aos 3 primeiros.

CLASSIFICAÇÃO DE PILOTOS:
Ricardo Prediger pula para a liderança do campeonato com 36 pontos, mas tem John Martins no seu encalço ainda mais depois que sua situação melhorou após o DQ de Medeiros, com isso John tem os mesmos 36 pontos, mas perde no desempate pelo fato de Prediger ter uma vitória, em terceiro vem Luciano Rocha da #268 Racing com 26 pontos no campeonato.


CAMPEONATO DE EQUIPES:
A Team Schnell é líder com 36 pontos, contra também 36 da HVM Racing Team sendo o desempate a vitória de Prediger, a CTE Racing HVM é a terceira colocada com 29 pontos.


NATIONS CUP’S
O Brasil domina a classificação com 50 pontos, com Portugal em segundo com 15, Peru aparece com 10 pontos e a Argentina com 1 ponto apenas.


VT DA ETAPA:
Confira aqui o vt na integra da etapa.


PRÓXIMA ETAPA:
A próxima etapa da competição e a grande final será no autódromo brasileiro de Interlagos, em uma corrida de 60 minutos onde a briga pelo titulo segue com Ricardo Prediger e John Martins de forma direta, a abaixo de Luciano Rocha disputando por fora, mas depois de ver as surpresas de Nordschleife, tudo pode acontecer nessa grande final.



Leia Mais... ►

T1 2019 - Inscrições Formula E Gen2


A VORC Series terá sua T1 com a continuidade de Campeonatos e eventos.
A Formula E volta a grade da liga, agora em um novo dia da semana para vocês, passando a ser realizado as terças feira.
Depois do sucesso com o Gen1, agora o campeonato será realizado com o Gen2, carro que estreou nesta temporada 2018/2019 da categoria, serão 3 etapas, com etapas de 45 minutos de duração.

Formula E, integrante da grade de competições da VORC Series, no qual ocorrerão 3 etapa de acordo com as regras abaixo:

Inscrições:
Templates:
Mod:
Carset: 1.0
TrackPack:

Sistema Anticheater: (obrigatório todos ter instalado)
Sistema de bandeira amarela: (obrigatório todos ter configurado)
Numeração:

Prazo para Skins: 08/02/2019

Lista de Inscritos 20/32 vagas



HORARIOS
Largada Teste –20:50h
Briefing –21:00h
Fim de Briefing – 21:30h
Qualifing – 21:32h
Warm Up – 21:42h
Corrida – ~21:45h *Baseado no horário de Brasília (GMT-3)

DURAÇÃO DO EVENTO
Qualifing – 5 minutos (Com limite de 1 voltas rápida no total) (Privado)
Warm Up – 3 minutos
Corrida – 1x de 45 minutos
Vagas - 32 vagas

12/02 - Göteborg City
26/02 - Phoenix

12/03 - Helsinki Thunder

CONFIGURAÇÔES DO SERVIDOR
Horário servidor: 14h
Bandeiras: Somente Preta (porém com SC manual)
Tipo de largada: Apresentação/Parada
Câmeras: Cockpit/TV do Cockpit
Setup fixo: Sim
Parque Fechado: Sim
Parada Obrigatória: Não
Danos Carro: 100%
Combustível: X1
Consumo pneus: x1 
Aceleração Tempo: 1x
Falhas mecânicas: Normal
ABS: Mínimo 
TC: Minimo
Embreagem: Permitido
Emborrachamento: Normal
Condição da Pista: Normal
Jogos de Pneus: x1

PONTUAÇÃO
01º - 25 pontos
02º - 20 pontos
03º - 16 pontos
04º - 13 pontos
05º - 11 pontos
06º - 10 pontos
07º - 09 pontos
08º - 08 pontos
09º - 07 pontos
10º - 06 pontos
11º - 05 pontos
12º - 04 pontos
13º - 03 pontos
14º - 02 pontos
15º - 01 ponto

DIREÇÃO DE PROVA E PENALIZAÇÕES APLICADAS AO PILOTO
Toda etapa da categoria será passível de análise e penalizações das infrações ocorridas. A Direção de Prova ocorrerá pós-corrida de acordo com as regras previstas nos itens de penalizações.
Salvo casos de força maior onde poderá ser colocado uma direção em caráter de emergência.

BANDEIRA AMARELA
A Bandeira amarela na VORC Series se ocorre por meio virtual, usando o safety car humano em virtude de muitas vezes o nativo do jogo gerar problemas ou situações erradas. Com isso usamos este sistema.
Os pilotos devem configurar um botão para chamar o diretor de provas e ter a permissão para abandonar a etapa.
Aqui tem um tutorial de como fazer:
https://drive.google.com/open?id=1xYaABxnXXVld5PLqiPNikFggSzLHNVUF

*O não cumprimento a esta regra inflige em uma punição ao piloto de ter de largar dos boxes, em caso de reincidência uma etapa de suspensão e em terceiro caso exclusão do campeonato e 1 ano de suspensão em competições da VORC Series.

ESCOLHAS DOS CARROS
O Campeonato tem uma configuração multimarca, porém são de física similares, a escolha á aberta por ordem de inscrição, lembrando que cada equipe deve ter o mesmo modelo de carros, podendo a subequipe ter outro modelo de carro.

PILOTOS
Todo piloto, ao contratar o serviço, está de acordo com o regulamento e as regras vigentes, estando inclusive sujeito ás punições que por ventura vier a sofrer ao incorrer em alguma infração.

CAMPEONATO DE PILOTOS
O campeonato de pilotos ocorre entre todos os pilotos inscritos na categoria, e o vencedor sairá da soma dos pontos obtidos nas 3 etapas, Não há descarte de resultados no regulamento.

ACESSO E/OU SUBSTITUIÇÃO DE PILOTO
Tanto o acesso como a substituição de pilotos na competição, só será permitido com a prévia análise da administração da categoria e se realizados até a 2ª etapa da temporada. A partir desta, somente pilotos que já participaram ao menos de uma etapa do campeonato.
A Liga se dá ao direito de ter 24 horas de antecedência para liberar ou não um piloto substituto, onde a mesma analisará se o piloto estará apto a correr o fato do piloto ter voltas no servidor pode ser um ponto de facilitação para a liberação, será aceito substituições de aviso até 23:59 do dia anterior a corrida. Fora deste horário previsto não será permitido.
Serão aceitos apenas os avisos feitos pelo formulário da liga neste link
https://docs.google.com/forms/d/1d0oaCkoKIBEUva0ieFWXTO3LlfzeizNLelPMPItv-ww/edit

EQUIPES 
As equipes devem ser compostas por no mínimo 1 e no máximo 2 pilotos.  As equipes participantes poderão inscrever subequipes na mesma competição.
A equipes devem conter o mesmo modelo de carro.

CAMPEONATO DE EQUIPES
O campeonato de equipes ocorre entre todas as equipes inscritas na categoria, e a campeã sairá dos pontos obtidos pelo melhor carro em cada etapa, sendo somada ao longo das 3 etapas.

PREMIAÇÃO
Serão oferecidos ao final da competição prevista, troféus comemorativos para o campeão. Vice e terceiro colocado. Equipe campeã recebe troféu.

ENVIO DE LOG
Os 3 primeiros colocados tem a obrigação de enviar o log do DAP para o email até 23:59 do dia seguinte a etapa: emerson.csantos@yahoo.com.ar

Como instalar o DAP é aqui:
http://vorc.blogspot.com/2018/04/data-acquisition-plugin-nova-ferramenta.html

PUNIÇÕES
Tipos de infrações
Informal
 – 5 segundos
Cut Track (quando houver necessidade de analise manual)
*Em caso de estouro a cima de 60 segundo o piloto é desclassificado da etapa.
 
Leve – 10 segundos (1 pontos na carteira)
- Entrar ou sair dos boxes sem respeitar a linha demarcada
- Trocar de faixa de direção mais de uma vez ao defender a posição
- Realizar ultrapassagem irregular estando em disputa por posição
- Não respeitar a sinalização de Bandeira Azul
Chat durante sessão oficial (Classificação e Corrida)
- Uso de farol para reclamação
- Defesa de posição forçando situação perigosa.

*O Chat é oficialmente proibido para xingamentos, comemorações antes do encerramento da etapa. Esses casos são punidos.
É considerado o caso em situações de emergência como notificações a direção de prova, ainda sim, se recomenda que o piloto ao invés de usar o chat utilize o mesmo botão de chamar o diretor de provas para abandono

Média – 20 segundos (2 pontos na carteira)
- Permanecer em pista com o carro danificado causando risco aos oponentes
- Causar acidente estando ou não em disputa por posição
- Causar acidente em ultrapassagem sendo retardatário
- Causar acidente na ultrapassagem sobre retardatário
- Realizar ultrapassagem durante a presença do Safety-Car na pista
- Realizar pit-stop durante a presença do Safety-Car na pista (salvo quando autorizado)
- Causar acidente após o encerramento da corrida
- Batida por trás
- Empurrão lateral.

Pesada -  30 segundos (3 pontos na carteira)
- Desrespeitar qualquer procedimento geral não previsto anteriormente que foi acertado no Briefing oficial da etapa
- Condutas Antidesportivas (Penalização será definida pela direção de prova)
- Causar acidente ao manobrar ou retornar de forma imprudente a pista - Causar acidente removendo mais de uma adversário da pista
- Causar Acidente durante a presença de Safety-Car

- Em caso de um piloto não completar a prova e ser punido, o mesmo fica perde posições no grid de largada.
Leve – 5 posições
Media -10 posições
Pesada – 15 posições

*Em caso de punição duplicada, a perde de grid também é duplicada.

 Acúmulo de penalizações: CARTEIRA DE PONTOS
- O piloto tem uma carteira de pontos com cada tipo de punição valendo de 2, 4 ou 6 pontos conforma a gravidade dos lances

- 06 pontos alcançados o piloto fica sem qualifiyng na etapa seguinte
- 08 pontos alcançados o piloto largará dos boxes na etapa seguinte
- 10 pontos alcançados o piloto ficará suspenso por uma etapa (em caso de campeonato de baterias é 1 bateria)
- 12 pontos alcançados o piloto será excluído do campeonato.

Partir da T3 ao final da temporada a liga removerá apenas 50% dos pontos do piloto na carteira, com isso ele leva a T4 50% dos pontos que tiver na carteira para a outra temporada, quando o ano termina, as carteiras são zeradas*

A Carteira leva em consideração o campeonato disputado ou o subsequente substituto do campeonato na temporada seguinte, e não todos os campeonatos de uma vez.

Protestos
O piloto que quiser fazer um protesto pode fazer até 24h após o evento, preenchendo o seguinte formulário.
https://docs.google.com/forms/d/1WC308GR__1QVh25zdgP-M64XrW84x-s7qUG-NIwcWrg/edit


o piloto pode optar por usar o replay oficial ou o seu caso não possa esperar a liberação do oficial, porém fica o adendo que será considerado os dados do replay oficial para análise dos lances.
Leia Mais... ►

Em corrida marcante e erro de estratégia de adversário, Leonardo Lopes vence a primeira bateria. Pedro larga de 17º e vence a segunda.



A VORC Series retornou ao seu calendário na sexta-feira 25/01 para a primeira etapa da Clio Cup, diretamente do circuito de Dijon, na França. Categoria que prometia muito devido ao equilíbrio, e fez jus a promessa!

QUALIFICAÇÃO
Com grandes nomes do Automobilismo Virtual a Clio Cup chegou a Dijon com a promessa de uma grande etapa e fortes disputas, que se mostrou desde a classificação com a pole position de Gustavo Frigotto, da Fitness Racing Snow Schatten. Leonardo Lopes veio colado, pouco mais de um décimo atrás. Pedro de Oliveira foi o terceiro. Ernesto Brock, Givaldo Spindola, Dani Gomes, Anderson Medeiros, Jesus Neto, Paulo Tempera e Marco Parma, completaram os 10 primeiros da etapa.
Confira abaixo a classificação completa:


BATERIA 1
Na largada da primeira bateria, foi Pedro que deu o pulo do gato. Saindo da terceira posição, assumiu a liderança ainda na reta principal. Brock também mostra a que veio e faz boa largada, ganhando a posição de Leonardo na luz verde.
Infelizmente nem tudo são flores e com 26 pilotos em pista, alguns incidentes surgiram ainda na primeira curva. Um dos envolvidos foi Felipe Granado que acabou se chocando com o muro após tentativa de manobra em seu companheiro de equipe, Emerson Barina. Sobrando ainda no mesmo acidente para Alexandre Oliveira que perdeu seu para-choque na confusão. Saldo negativo nesse começo de prova para a Herdez Competition
Givaldo Spindola e Pedro Santos também se estranham e acabam se chocando, antes da segunda curva e ainda na primeira volta, sendo impossível a continuação dos pilotos após a colisão mais forte.
Com as várias baixas no momento, e ainda precocemente, os sobreviventes tentavam controlar seus carros e a ansiedade por colocações mais à frente.
No ínicio do segundo giro a prova seguia com Pedro de Oliveira na liderança, seguido de perto por Gustavo Frigotto. Ernesto Brock, Leonardo Lopes e Anderson Medeiros vinham em boa briga pela terceira posição. Paulo Tempera, Jesus Neto, Marco Parma, Jorge Dillerva e Emerson Czerkawsky eram os 10 melhores colocados da corrida.
No ínicio do terceiro giro, Frigotto parte com tudo para cima de Pedro e realiza bela ultrapassagem na primeira curva, dando pinta de um bom ritmo. Na terceira curva, é a vez de Leo Lopes partir para cima de Brock e concretizar o retorno a terceira posição da prova.
No início do quarto giro, é a vez de Emerson Czerkawsky, John Martins e Jorge Dillerva protagonizarem uma cena que seria vista algumas vezes durante as disputas, os três, na disputa pela 9ª posição, vieram em 3-wide a reta principal inteira, dando a chance da disputa se prolongar até a freada da T1. Manobra em que John consegue de forma maestral, segurar a posição de disputa.
Marcio Medeiros também foi um dos acidentados da noite. Em freada forte para descida da T4, perde a traseira de seu carro e acaba se chocando com o muro.
Leonardo Lopes, no ínicio do 5º giro, se perde na primeira curva, erra e cai para 5 posição da prova, ficando com a responsabilidade imensa de retomar o ritmo e buscar novamente as primeiras posições.
As brigas seguiam forte por toda pista, destacando a briga pela décima posição já na altura da décima volta. Jonathan Brochier, Tonga Guardia, Tarso Marques e Jorge Dillerva faziam grandes manobras buscando a posição que pudesse dar a eles a chance de largar a frente na segunda bateria, já que para a mesma, o grid é invertido para os 10 primeiros postos.
No final da volta 17 a primeira cena, que ficaria marcada na noite. Pedro de Oliveira apresenta problemas com o combustível e vem para box. Prejuízo garantido, já que nesse momento, daria adeus para as primeiras posições. Para piorar, se choca contra o muro de entrada dos boxes e fica 1 minuto parado, caindo para a 17ª posição.
Ernesto Brock e Leo Lopes ainda batalham pelo segundo posto, mas Léo leva a melhor e assume a posição.
E assim é fechada a primeira bateria. Na pista, Frigotto vence, porém, devido a um problema no output file do LOG, faz com que o piloto seja desclassificado, conforme normas do regulamento.
Dessa forma, Leonardo Lopes vence a primeira bateria, com Brock em segundo e John Martins em terceiro. Jesus Neto, Marco Parma, Emerson Czerkawsky, Alexandre  Oliveira, Tonga Guardia, Tarso Marques e Jorge Dillerva, completam nas dez primeiras posições.


BATERIA 2
A segunda bateria começaria a pouco do final da primeira, proporcionando mais 25 minutos de emoção. Ao contrário da primeira bateria, a largada da segunda bateria foi excelente e ninguém teve problemas ou confusões na primeira curva. O problema foi na T4, onde alguns pilotos se envolveram em acidentes, entre eles, Anderson Medeiros, piloto da BSP, que comprou um acidente pronto entre percalços dos toques a frente. Marcelo Vieira e Pedro Santos também foram envolvidos na ocasião.
No final da primeira volta a ordem era a seguinte: Tarso Marques, Tonga Guardia, Alexandre Oliveira, Emerson Czerkawsky brigavam ferrenhamente pela primeira posição, Marco Parma, Jorge Dillerva, Ernesto Brock, Pedro de Oliveira, Jesus Neto e John Martins, ocupavam os 10 primeiros, destaque para Pedro, que largara em 17º.
No final da 2ª volta, Marco Parma e Jorge Dillerva se esbarram, facilitando a manobra de Pedro, pra cima dos dois, que ocuparia a 6ª posição.
Pouco afrente, no comecinho da 3ª volta, Alexandre Oliveira, se enrosca com Ernesto Brock, que cai para a 6º colocação. Atrás dele, a briga entre Jorge Dillerva, Neto Silva e Marco Parma, sobrou tinta para todos, mas as manobras não prejudicaram ninguém.
Com as confusões, Pedro encosta em Alexandre, já na briga pela terceira posição. Gustavo Frigotto, que largou em 10º e chegou a cair algumas colocações, era o nono e já mostrava sua recuperação.
Emerson Czerkawsky liderava com Tonga Guardia em seu cangote e as disputas sempre limpas, começaram. Tonga erra a entrada da ultima curva, permitindo o ataque de Alexandre e Pedro, que formam um 3-wide na longa reta de Dijon, com preferencia da curva para Pedro, que assume a segunda posição, seguido de Alexandre. Tonga cai para quarto lugar na manobra dupla.
No momento em que Pedro assumia a liderança, Frigotto vinha na sétima colocação, também escalando o pelotão.
Nomes que figuravam as primeiras posições na primeira bateria, como Leonardo Lopes, ocupava a 10ª posição nessa altura. Givaldo Spindola, que também fez boa corrida na primeira parte da noite, ocupava a modesta 17ª colocação.
Tonga que chegou a ser segundo na prova, começava a ser superado por seus adversários, John Martins e Gustavo Frigotto fizeram ótimas ultrapassagens e deixavam o Hermano, Tonga, na sexta posição.
 Destaque muito grande para a disputa dos pilotos da HVM, que ocupavam a segunda e terceira posição, Emerson Czerkawsky e Alexandre Oliveira. A briga perdurou por toda a corrida, convidando outros pilotos. John Martins chegou e passou. Alexandre e Emerson, ficaram para Dani Gomes, que em grande corrida, mostrou toda sua força na disputa, Jesus Neto também chegava na última volta, prometendo uma grande briga.
Dito e feito, na ultima curva, Jesus Neto consegue sair mais lançado que Emerson e John, finalizando a corrida a frente de John por 4 milésimos e atrás de Emerson, apenas 1. Os carros chegaram lado a lado coroando uma excelente etapa.
La na frente, Pedro confirmou a vitória, seguido de Alexandre Oliveira, que viria assim como Frigotto ser desclassificado por não envio de LOG, Dani Gomes fechou em segundo com Czerkawsky em terceiro. OS já citados, na quarta, Jesus Neto, John Martins. Tonga Guardia, Givaldo Spindola, Leo Lopes, Ernesto Brock e Marco Parma, completaram os 10 melhores colocados da segunda bateria da noite.
Como citado anteriormente, devido a configurações do output file, Gustavo Frigotto foi desclassificado da prova.

PROTESTOS E PUNIÇÕES
G.Spindola > P.Santos - Sem ação, o reclamante freia em local onde o traçado, é de aceleração, ao fazer o traçado de forma errada, freia, não tendo o piloto protestado tempo de ação para reagir a freada brusca do reclamante, sendo assim é considerado lance de corrida.

FEEDBACKS
J.Dillerva - Mais cuidado ao entrar em disputas, se atentando aos limites de pistas e de toques em disputas, sendo recomendo se atentar ao Fair Play.

J.Martins - Se atentar ao spotter quando o mesmo sinalizar que há um piloto ao seu lado, evitando assim entrar em curvas com oponentes lado a lado e batendo no mesmo como se não estivesse ali.

T.Marques - Se atentar a frenagens nas disputas com outros adversários, para evitar toques desnecessários.

G.Frigotto - Se atentar a frenagens nas disputas com outros adversários,  se aproveitando de toques para realizar ultrapassagens sem realizar fair play, e em alguns momentos realizando dive bomb para forçar ultrapassagens.

A.Oliveira - Se atentar ao spotter quando o mesmo sinalizar que há um piloto ao seu lado, evitando assim jogar o carro encima de algum piloto que esta lado a lado, em disputas em que se está atrás o piloto deve ter respeito com os demais atrás e do lado tomando cuidado com os mesmos.

CLASSIFICAÇÃO PILOTOS
Após duas baterias, Leonardo Lopes se aproveita dos problemas de LOG de Frigotto e assume a liderança da etapa com 32 pontos, Alexandre Oliveira é o vice lider do campeonato com 29 pontos, e Ernesto Brock aparece com o terceiro lugar com 26 tentos.



CLASSIFICAÇÃO EQUIPES
A BSP Racing assume a liderança do campeonato, agora com 38 pontos, a CTE Racing HVM surge como vice líder do campeonato com 36 pontos, e a Black Wings RT surge como terceiro lugar com 33 pontos.



CLASSIFICAÇÃO NATIONS CUP
O Brasil é lider do campeonato com 50 pontos, seguido de Argentina com 17, e Peru surgindo em terceiro na competição com 10 pontos.



VT DA ETAPA



PRÓXIMA ETAPA
A próxima etapa do campeonato será no traçado de rua de Circuit de Pau, circuito conhecido pelas boas corridas realizadas na corrida real, que também recebe etapas de F3 e outras categorias.



Leia Mais... ►