MENU

Drop Down MenusCSS Drop Down MenuPure CSS Dropdown Menu

Givaldo, Medeiros e Lopes vencem em Rafaela e campeonato fica quase decidido.



Na noite de sexta feira (31/06) no fechamento do mês de Maio, teve as três baterias da grande semi-final, o traçado super veloz, sendo um oval com chicanes literalmente. Sabendo isso, quem tivesse mais pista livre e menos enrosco em disputas teria grandes chances na corrida.

QUALIFICAÇÃO:
Leonardo Lopes fez a pole position com 0.002s de vantagem para seu companheiro de equipe Givaldo Spindola, e muito mais que isso, foi uma dobradinha de Black Wings RT e de família, afinal Lopes e filho de Givaldo.
Ernesto Brock (HVM Racing) e Felipe Granado (Herdez Competition) fizeram a segunda fila, com o top 10 sendo completado por: Cadu Maciel, Tonga Guardia, Jesus Neto, Alexandre Oliveira, Dani Gomes, Marco Parma.


BATERIA 1:
A primeira bateria contou com uma confusão logo na primeira chicane, mas quem escapou ileso a isso foi Givaldo Spindola que apesar de ver a ponta ameaçada por Cadu Maciel (BSP Racing), ao final das 14 voltas, o piloto da Black Wings levou a vitória, sendo a primeira de Givaldo Spindola na VORC Series, com seu filho Leonardo Lopes em segundo e Cadu Maciel completando o pódio da etapa.


BATERIA 2:
Com a inversão do grid Emerson Czerkawsky (HVM Racing) e Alexandre Oliveira (CTE Racing HVM) formaram a primeira fila.
Emerson Czerkawsky largou bem e tentou se manter na ponta, mas a falta de ritmo fez o piloto perde a ponta para Anderson Medeiros (BSP Racing 2).
Outro acidente na largada acabou levando quatro carros logo de cara.
Mais 14 voltas e Anderson Medeiros vence uma bateria na temporada, o piloto que vinha tendo muitos azares no campeonato enfim desencanta com um resultado bom, John Martins da CTE Racing HVM foi o segundo colocado e Emerson Czerkawsky conquistou o terceiro lugar na etapa.


BATERIA 3:
A terceira bateria começou com Leonardo Lopes e Glauber Belo (Thunder Racing) na primeira fila.
Leonardo Lopes larga melhor e sai na ponta e vai abrindo, enquanto Glauber Belo tenta se defender de todas as formas de Emerson Czerkawsky que havia largada em 8o e pulou bem na largada, Glauber tentava se defender algo não muito bem planejado para um oval onde é impossível se defender desta forma, e foi perdendo posição, até que um BIG ONE após Glauber descer para fazer uma das chicanes quando Alexandre Oliveira ainda estava do seu lado, com isso vários outros carros bateram juntos, entre eles Givaldo Spindola e Jesus Neto (BSP Racing).
Na parte final da prova, Cadu Maciel e Emerson Czerkawsky brigaram pelo segundo lugar com o piloto da BSP levando a melhor sobre o piloto da HVM, Emerson ainda teria de se defender dos ataques do argentino Tonga Guardia (Branca Sport Team) mas no final Tonga rodou e assim fechou a prova.
Vitória de Leonardo Lopes, com Cadu Maciel em segundo lugar e Emerson Czerkawsky repetindo o pódio da etapa.
Após as três baterias, Leonardo Lopes fica a 25 pontos de conquistar o titulo do campeonato, com Cadu Maciel mesmo com uma etapa a menos (3 baterias) aparece com a vice liderança do campeonato, e John Martins em terceiro.


PROTESTOS E PUNIÇÕES:
Bateria 1:
G.Belo > J.Neto – Indeferido – O carro #18 vem por fora na curva, tendo o #5 pegando a zebra assim tocando o #18 o jogando para fora da pista, tendo ele perdido o controle e com o #5 não se precavendo e freando para evitar possível toque, acabam se tocando. Como o #5 fez o primeiro toque e foi prejudicado, foi considerado lance de corrida.

Bateria 3:
A.Oliveira > G.Belo - +20s, N3 Carteira – O #43 se encontrava além da metade do carro #5, considerando que se o piloto estiver com o spotter ativado, ele avisaria o carro a esquerda, ainda sim o #5 fecha abruptamente para fazer a chicane não deixando nenhum espaço para o #43 assim ocasionando toque e acidente gerando múltiplo acidente.
Como o piloto abandonou a etapa, perde 10 posições no próximo grid.

G.Belo > A.Oliveira – Reversão de protesto, ler acima.

D.Gomes > Notificação – O piloto teve uma correção de volta na bateria 3, em virtude do Bug perdendo uma volta não computada, foi conferido e feito o reajuste deixando o piloto na mesma volta do líder.

Notificação geral.
A Liga já notificou em vários briefings sobre o uso do feedback driver, que é para um uso de real necessidade, como foi o caso de Dani Gomes para a sua questão de BUG, tendo em vista que os pilotos não prestam atenção e ficam “desabafando” e usando para reclamar dos demais pilotos em grid, fica avisado que qualquer uso fora de: Notificação de bug, Notificação de auto punição, e aferição de pit fechado. Serão convidados a se retirar da liga.

CARTEIRA DE PILOTOS:


PONTUAÇÃO PILOTOS:


PONTUAÇÃO EQUIPES:


PONTUAÇÃO PAISES:


PONTUAÇÃO MARCAS:


PRÓXIMA ETAPA:
A grande final ocorrerá no autodromo de Interlagos em sua versão com chicane, a mesma que era utilizado pelo Brasileiro de Marcas em 2018. A corrida promete bastante já que Interlagos é um dos autódromos mais conhecidos pelos pilotos.


VT DA ETAPA: