MENU

Drop Down MenusCSS Drop Down MenuPure CSS Dropdown Menu

I’m In Miami Beach!!!



A segunda etapa da VORC IMSA Series contou com o travadíssimo circuito de Miami, localizado em torno do Bayfront Park, o circuito muito belo, mas dificílimo, trouxe um dos maiores desafios aos pilotos das classes DPi, GTLM e GTD, totalizados em 26 pilotos e consequentemente a que foi a melhor corrida da história de entendimento entre as classes, com direito a drama no final da DPi na briga pela vitória.

QUALIFICAÇÃO
DPi
Diego Said estreiando na IMSA, substituindo Felipe Lima na Black Wings, foi o pole position, com o tempo de 45,172 no traçado curtíssimo, Guido Seelig companheiro de Said e líder do campeonato, saiu logo em segundo, ainda completaram os 7 DPi na categoria, Ricardo Prediger, Dani Gomes, Emerson Czerkawsky, Carlos Eduardo Maciel e Tarso Marques.


GTLM
Pela GTLM Bruno Fernandes da Fitness Racing Snow Schatten fez sua segunda pole position, com o tempo de 46,642, contra John Martins da CTE Racing HVM, que fez o tempo de 47,081. João Hebert colocou o Porsche da M Tech Sports em terceiro, com Luciano Rocha em quarto, seguindo com os nove primeiros sendo, Werner Marote, Vinicius Gonçalves, Marco de Andrade, Jonatan Borchier e Alisson Bullet.


GTD
Seguindo a boa fase da equipe BSP Racing na categoria, Jesus Neto cravou a pole, com o bom tempo de 48,543, enquanto seu companheiro e líder do campeonato Cadu Maciel fez o segundo tempo 48,635. Wendel George foi o terceiro e Gustavo Feo o quarto, ainda completaram os 11 carros da classe: Phillipe Antunes, Cristiano Gomes, Antonio Vieira, Paulo Tempera, Caio Possati, Paulo Tchachalowski e Alisson Borges.


CORRIDA
Vinte nove carros, num circuito de rua para lá de apertado o resultado esperado seria uma largada acidentada, mas para surpresa de todos, apenas dois pequenos enrosco, um com Vinicius Gonçalves (BMRS E-Sports), que estava rodando, mas foi tocado por e o português Paulo Tempera da Portugal Racing que acabou sendo tocado por Alisson Borges da 4EverBr e causando um acidente com o português.
A sequência da prova ia seguindo bem, e apenas na volta 11 foi deflagrada a bandeira amarela, com o acidente de Werner Marote (Team Schnell) que aparentemente por um lag foi tocado por Jonatan Brochier da CR Motorsports e foi ao muro destruindo completamente sua amarela.
Com a amarela, alguns pilotos da DPi e das classes de GTLM e GTD foram aos boxes, mudando as estratégias.
Com a relargada a prova seguiu normalmente, e os pilotos conseguindo se desvencilhar do tráfego que o traçado estreito fazia na pista.
Na volta 47 um fato inusitado na corrida, Bruno Fernandes e John Martins mesmo de GTLM conseguiram liderar a prova no geral, pois não havia tomado volta e com as paradas dos DPi o fato ocorreu por boas 7 voltas.
Guido Seelig vinha liderando, já que Diego Said vinha claramente na condição de escudeiro, enquanto Emerson Czerkawsky (HVM Racing Team) e Ricardo Prediger (Team Schnell) vinham duelando pelo terceiro.
Na GTLM, Bruno Fernandes liderava e na GTD Jesus Neto e Cadu Maciel alternavam na liderança da prova.
Restando pouco para o final, Guido Seelig bate sozinho, deixando a briga pela vitória entre Diego Said que liderava, mas vinha perdendo terreno para Emerson Czerkawsky, Bruno Fernandes também teve problemas na GTLM e perdeu a asa traseira, tendo o piloto que ia aos boxes repor a asa. Na GTD Cadu Maciel foi mais um a ter problemas, ao pegar o carro de Phillipe Antunes (Team Schnell) rodado na pista e depois acertado por Wendel George (Herdez Competition).

DPi
Com o final dramático na DPi com os carros andando lentos e economizando, ao final de incríveis 106 voltas e apenas uma bandeira amarela, Diego Said vence em sua estréia na categoria, com Emerson Czerkawsky em segundo com o seu segundo pódio na temporada, Guido Seelig ainda chegou a passar em terceiro, mas foi desclassificado pelo não envio do LOG, com isso Ricardo Prediger mesmo abandonando a prova, pulou para terceiro na corrida.


GTLM
John Martins aproveitou bem a etapa, e venceu aproveitando os problemas de Bruno Fernandes após uma boa disputa entre os pilotos com suas estratégias, Brunos aliás ainda fechou em segundo, com o piloto Luciano Rocha da #268 Racing em terceiro, e destaque para a corridaça de Vinicius Gonçalves que mesmo com o acidente da largada, ainda conseguiu um quarto lugar na classe.


GTD
Wendel George acabou conquistando a vitória conquistada no final e mesmo segurando a pressão da Cadu Maciel, este por sinal conquistando o segundo lugar e mantendo a liderança do campeonato, Cristiano Gomes (Calango Racing) havia cruzado a linha de chegada em terceiro, mas um incidente com Jesus Neto, acabou dando uma punição que fez Neto reassumir o terceiro lugar e Cristiano ficando em quarto.


PROTESTOS E PUNIÇÕES:
J.Neto > C.Gomes - +20s +N2 – Toque causando acidente e danos ao #18.
C.Maciel > A.Bullet - +20s +N2 – Toque causando acidente e danos ao #03.
A.Borges > P.Antunues - +10s +N1 – Mesmo não existindo bandeira azul na categoria, o piloto do #08 demorou a dar passagem ao carro #65 estendendo por 3 voltas para fazer a passagem, pede-se que nestes casos o piloto vendo que não abre uma vantagem a frente do piloto a dar volta seda passagem.
Direção > G.Seelig – DQ – Não envio de log obrigatório dentro do prazo de 10 min.
Direção > G.Seelug - +N1 – Piloto foi notado utilizando de faróis para pedir passagem aos GTLM/GTD, conforme mencionado em briefing os pilotos devem aguardar apenas o GTLM/GTD usem o farol avisando sobre dar passagem, DPi não devem usar faróis pedindo passagem para evitar confusões entre as classes, apenas agradecer ou pedir desculpas em caso de necessidade após já ter ultrapassado o carro da classe inferior tomando volta. Em caso de reincidência o piloto levará N3 de punição na carteira cada vez que for notado usando o recurso.

CARTEIRA DE PONTOS


PONTUAÇÃO PILOTOS
DPI


GTLM


GTD


PONTUAÇÃO EQUIPES
DPI


GTLM


GTD


PRÓXIMA ETAPA
Agora a categoria encarará o circuito de Homestead em sua versão Road, onde a corrida contará com duração de 1 hora e 45 minutos.



VT DA ETAPA