MENU

Drop Down MenusCSS Drop Down MenuPure CSS Dropdown Menu

Shanghai tem Jesus, Granado e Czerkawsky vencendo em corrida movimentada.



A TCR Ásia chegou a Shanghai na China, para a segunda etapa do campeonato, para a realização da 4
ª, 5ª e 6ª baterias ao todo 25 carros participaram da etapa, que contou com emoção, brigas na pista e fora dela, e mais uma vez a amostra que a categoria tem tudo para repetir mais uma vez o sucesso das temporadas passadas.

QUALIFICAÇÃO:
Leonardo Lopes (Black Wings RT) cravou a pole position, com o tempo de 2:12,401, colocando 0,746 segundos encima de Jesus Neto (BSP Racing), a segunda fila ficou por conta de Givaldo Spindola (Black Wings RT) e Cadu Maciel (BSP Racing), a terceira fila foi de John Martins com sua CTE Racing HVM, e Alexandre Emanuel da SUB Racing, ainda completaram o top 10: Emerson Czerkawsky, Felipe Granado, Anderson Medeiros e Antonio Vieira.


BATERIA 1:
A Movimentação da primeira bateria foi boa, com Leonardo Lopes caindo para terceiro na largada, Jesus Neto pulando a frente seguido por Cadu Maciel. Detalhe para a boa corrida de Jontatan Brochier (CR Motorsports) que havia largado em 25
º e galgou posições em meio aos incidentes na prova, Rui Guerra, português da XtraBe foi outro que saiu do fundo do grid, e fez ótima corrida.
Ao final de 9 voltas, com o tempo de 20:25,996, Jesus Neto venceu a primeira bateria com Cadu Maciel passando em segundo, mas uma punição por uma fechada na largada o fez tomar 10 segundos, e com isso Leonardo Lopes foi o segundo e Givaldo Spindola passando em terceiro, Cadu ainda fechou no quinto lugar, atrás de John Martins que foi o quarto colocado.


BATERIA 2:
A segunda bateria começou com Antonio Vieira (Tonyspeed Motorsports) e Jonatan Brochier saindo na primeira fila com a inversão do top 10.
Na largada Felipe Granado (Herdez Competition) se sai muito bem, e assume a ponta logo de cara, com Antonio Vieira caindo vertiginosamente com problemas no pedal de freio.
A bateria também ficou marcada pelo alto número de toques entre os pilotos, que de forma mais agressiva disputavam as posições aos tapas literalmente, Leo Lopes foi um dos que rodou na largada. Em meio a tudo isso Emerson Czerkawsky (HVM Racing Team) vinha de recuperação ao sair da 23
ª posição, assim como Cesar Bergesch que saiu de 15º e já vinha entre os 10 primeiros com suas recuperações.
Ao final de mais 9 voltas na segunda bateria, Felipe Granado venceu mais uma segunda bateria em sua carreira, e Jonatan Brochier conquistou seu primeiro pódio na TCR, Givaldo Spindola fechou em terceiro com sua Black Wings, após Alexandre Oliveira (CTE Racing HVM) que havia fechado na posição, ser desclassificado por não envio de Log, o Portugues Paulo Tempera (Portugal Racing) foi o quarto colocado e Emerson Czerkawsky em incrível recuperação foi o quinto.


BATERIA 3:
A terceira bateria prometia muito, com a primeira fila sendo de Cyro Santana (4EverBr) e Leonardo Lopes após a inversão.
Na largada Cyro Santana fez o máximo possível para defender a ponta enquanto era atacado por Leonardo Lopes, mais atrás um acidente forte com Antonio Vieira que acabou se tocando com Paulo Tempera e indo forte ao muro.
Ainda na primeira volta, Leonardo Lopes e Cyro Santana vinham lado a lado na grande reta com Emerson Czerkawsky acompanhando de perto e no final Leo tenta um mergulho em Cyro, ambos espalham e Czerkawsky assume a posição num xis duplo.
Com Emerson Czerkawsky e Leonardo Lopes na ponta se iniciou um dos duelos mais épicos da VORC Series, os pilotos vieram juntos o tempo todo, e Leonardo tentou incessantemente a ultrapassagem até tomar mais 3 xis de Czerkawsky, mais atrás as brigas continuavam a todo vapor com muitas trocar de posição.
Na abertura da ultima volta, Leonardo Lopes tenta uma manobra ousada na curva 1, por fora, mas não consegue espaço, Jesus Neto que se aproximou muito, acabou dando o bote e conquistando a segunda posição encima de Leonardo Lopes.
Com 20:13,199 de corrida, Emerson Czerkawsky venceu a terceira bateria em sua tentativa de se recuperar no campeonato, com Jesus Neto em segundo e Leonardo Lopes cruzando em terceiro.


PROTESTOS E PUNIÇÕES
Qualificação:
Direção > J.Dillerva - +N1 (utiliza-se de 2 voltas rápidas no qualy, com isso largará dos boxes na próxima etapa)

Bateria 1:
G.Spindola > C.Maciel – Indeferido (o piloto usa de recurso proibido de forma inapropriada para reclamar do incidente, leva 1 ponto na carteira)

L.Lopes > C.Maciel - +10s +N1 (O #3 fecha a porta de forma perigosa na saída da curva 1)

E.Czerkawsky > D.Gomes - +20s, +N2 (O piloto do #77 não freia na penúltima curva, causando colisão e danos ao #56)

E.Czerkawsky > P.Tempera - +20s, +N2 (O piloto perde o carro e bate na traseira do #56, causando um acidente ainda maior, e deixando o #56 sem a asa traseira)

C.Bergesch > P.Tempera – Indeferido (O Lance nem foi olhado, em virtude de ter sido enviado fora do prazo de 23:59 de sábado)

Bateria 2:
C.Maciel > J.Martins – Notificação de auto-drive thru em acidente.

G.Spindola > J.Neto – Indeferido (Enviado tempo de 50:00 inexistente no replay...)

G.Spindola > P.Tempera – Indeferido (o piloto usa de recurso proibido de forma inapropriada para reclamar do incidente, leva 1 ponto na carteira)

G.Spindola > F.Granado – Indeferido (o piloto usa de recurso proibido de forma inapropriada para reclamar do incidente, leva 1 ponto na carteira)

G.Spindola > J.Neto – Indeferido
A1 - (o piloto usa de recurso proibido de forma inapropriada para reclamar do incidente, leva 1 ponto na carteira)
A 2 – (A liga informa que especificou no regulamento sobre o ocorrido na capotagem de Jesus Neto, e que seguira com a situação (capotagem com auto viragem) até o final da temporada e caso esteja desabilitada, deixar habilitada ao final da temporada, item inclusive que foi passado para o pessoal da transmissão explicar a todos os expectadores  estarem informados, e isto jamais dá o direito do piloto ao se sentir “prejudicado” vendo um concorrente de disputa que não se envolveu diretamente o protestando, muito menos mandar textos em “caixa alta” a liga querendo que sua opinião seja imposta.) +N1

L.Lopes > C.Maciel – indeferido (Não consta incidente com o piloto citado...) +N1 a Lopes por envio de protesto sem ter acontecido algo.

L.Lopes > J.Neto - +20s, +N2 (Piloto do #18 não alivia o pé, e acaba causando toque de forma evitável, causando acidente na largada)

R.Guerra > D.Gomes - Indeferido (O Lance nem foi olhado, em virtude de ter sido enviado fora do prazo de 23:59 de sábado GMT -3)

R.Guerra > M.Benavides - Indeferido (O Lance nem foi olhado, em virtude de ter sido enviado fora do prazo de 23:59 de sábado GMT -3)


Bateria 3:
A.Oliveira > C.Santana - +20s, +N2 (Toque por trás causando acidente)

G.Spindola > F.Granado - Indeferido (o piloto usa de recurso proibido de forma inapropriada para reclamar do incidente, leva 1 ponto na carteira)

G.Spindola > F.Granado – Indeferido (O #06 não o toca por vir mais lançado, mas sim porque o protestante perde velocidade ao se tocar com outro carro)


CARTEIRA DE PILOTOS:


Pilotos com punições para Buddh:
J.Dillerva > Larga dos boxes, infração de qualy.
G.Spindola > Sem qualy por atingir 6 pontos na carteira.
P.Tempera > Sem qualy por atingir 6 pontos na carteira.

PONTUAÇÃO DE PILOTOS:


PONTUAÇÃO DE EQUIPES:


PONTUAÇÃO DE PAÍSES:


PONTUAÇÃO DE MARCAS:


PRÓXIMA ETAPA:
Agora a categoria desce um pouco no mapa, e vai a índia, para o circuito de Buddh onde será realizada a terceira etapa do campeonato, um circuito que conta com boas retas, mas também um trecho tecnico que vai dar trabalho aos pilotos.


VT DA ETAPA: